Você está aqui: Página Inicial > Campus Valença > Comunicado nº 4 sobre coronavírus - Nós e a pandemia, após cem dias
conteúdo

Comunicado nº 4 sobre coronavírus - Nós e a pandemia, após cem dias

publicado: 30/06/2020 19h51, última modificação: 30/06/2020 19h51

A pandemia de Covid-19, causada pelo Sars-Cov-2, surpreendeu o mundo, entre outras coisas, com o imperativo do distanciamento social como única medida realmente eficaz para reduzir a escalada da doença. Decretar a suspensão das atividades no Instituto Federal da Bahia, campus Valença, não foi uma decisão fácil, já que nosso campus mobiliza sonhos, talentos e a dedicação de mais de mil pessoas, entre servidores e estudantes, todos os dias letivos e não-letivos. Mas foi exatamente em razão da preservação da vida de cada uma destas pessoas que no dia 14 de março de 2020 nos reunimos em equipe a fim de avaliar a suspensão das atividades, a princípio, por sete dias. No entanto, o avanço desta misteriosa doença, que viajou o mundo como a luz do Sol, do oriente para o Ocidente, nos apresentou um cenário novo e absolutamente imprevisível. Os seus impactos sobre o bem-estar físico e psicológico da população mundial – para não mencionar os desdobramentos sanitários, políticos, econômicos, socioculturais e administrativos – foram impondo um estado de emergência até então desconhecido pelas últimas quatro ou cinco gerações. E foi com bastante cautela e senso de cidadania que deliberamos, afinal, pela suspensão das atividades por tempo indeterminado.

No último dia 22 de junho, alcançamos os cem dias de quarentena. Este é, sem dúvida, um ponto oportuno de reflexão. Por um lado, é com tristeza que constatamos o número de mortos ultrapassar os cinquenta mil e os infectados mais de um milhão, fazendo do Brasil o epicentro da doença na América do Sul. Com tristeza constatamos a brutalidade com que a pandemia ceifa milhares de vidas humanas a cada novo dia, ao passo que expõe o abismo social brasileiro, retratado nas disparidades de acesso à atenção básica de saúde e a falta de acesso a uma renda básica constitucional que garantisse a soberania alimentar durante a vigência dos protocolos de distanciamento social. Aprendemos que “ficar em casa” é uma exigência que pode ter alto custo para famílias economicamente vulneráveis, cuja renda depende do fragilizado setor terciário da economia, e que, por isso, tantos homens e mulheres acabem expostos a condições de trabalho com alto risco sanitário. Nós, que formamos trabalhadores, não pudemos deixar de observar esta dimensão dramática da vida quem precisa trabalhar durante a pandemia, a começar pelos profissionais de saúde e se serviços gerais que atuam em nosso próprio campus.

Apesar dos questionamentos que emergem na sociedade brasileira acerca do ensino a distância, acenando a sua urgência mas o mesmo tempo questionando viabilidade, nós temos procurado participar ativamente de reflexões cautelosas acerca do tema, escutando os especialistas em epidemiologia e pedagogia, observando as recomendações médicas, entendendo a importância de reforçar, prioritariamente e sobretudo neste momento, a função social e cidadã da escola, uma vez que reconhecemos em cada um de nossos e nossas estudantes os membros de comunidades que enfrentam enormes desafios todos os dias, desafios diante dos quais é fundamental manter uma escuta sensível, mas também, um vívido senso de solidariedade e cidadania.

Por outro lado, ao longo desses três meses e meio, tão caros a nossa autopreservação, não nos mantivemos alheados das circunstâncias que nos provocam de modo muito particular à criatividade na busca por novas formas de ser e estar no mundo pós-pandemia. Graças aos esforços daqueles e daquelas servidoras que se mantiveram ativos e ativas, dedicando-se remotamente às suas funções – fosse de forma individual ou coletiva – estamos dando passos importantes no sentido de readaptarmo-nos, com uma sensibilidade dinâmica, aos novos tempos e ao chamado “novo normal”. Certo é que há sempre muito o que aprender, especialmente na escola.

Gostaríamos, então, de assinalar pontos de um repertório de ações institucionais que tem sido desenvolvidas durante a pandemia:

  1. Constituímos um Comitê Local de Prevenção e Acompanhamento da Ameaça do Coronavírus já no dia 16 de março;
  2. Garantimos a continuidade das comissões de trabalho do campus de forma remota;
  3. Engajamos a corpo discente e o público externo na 3ª edição do Concurso Letras Novas 2020 – Minicontos e Desenhos, como ação de extensão, que teve regulamento publicado no dia 8 de abril;
  4. Garantimos, através dos esforços da Comissão de Grupo de Trabalho para aplicação da Política de Assistência Estudantil, a publicação em 24 de abril do edital PAAE 2020 com Auxílio Emergencial, o qual contemplou 420 estudantes;
  5. Realizamos, através do trabalho dedicado das servidoras nutricionistas Cristina Borges e Rita de Cássia, amparadas pelo artigo 10 da resolução CONSUP n. 07, de 22 de março de 2020, a doação de 21 kits de alimentação básica que chegaram a quem deles precisava;
  6. Realizamos transmissões ao vivo, a partir de iniciativas diversas, a fim de estimular o engajamento da comunidade durante a quarentena e mantendo-a a par das atividades e perspectivas diante do cenário de pandemia. Destaque para a live de acolhimento com a professora Genny Ayres, diretora-geral do campus, ocorrida em 17 de abril e a live com a assistente social Karla Reis esclarecendo as dúvidas acerca do edital PAAE/Auxílio Emergencial em 27 de abril;
  7. Logramos a aprovação de dois projetos de pesquisa no edital n. 11/2020, a saber, o intitulado Desenvolvimento de um protótipo de ventilador pulmonar artificial de caráter emergencial, sob coordenação do professor Tárcio Henrique e o intitulado Produção e controle de qualidade de álcool nas formas de gel e líquido glicerinado, sob coordenação do professor Paulo Tavares;
  8. Realizamos ainda, através do trabalho do professor Tárcio Henrique a produção e doação de 20 máscaras tipo face shield para a Santa Casa de Misericórdia de Valença e para a barreira de segurança do trevo do Guaibim;
  9. Obtivemos também a aprovação do projeto de extensão intitulado Programa de Orientação Acadêmica, sob coordenação da professora Ava Carvalho com inscrições abertas a partir de 20 de maio. O programa foi contemplado pelo edital PROEX 01/2020, de “ações de extensão estratégicas e emergenciais para ações de enfrentamento e difusão de informações referentes ao COVID-19” de fluxo contínuo do campus.
  10. Ainda, no edital de fluxo contínuo do campus Valença tivemos aprovados os projetos Orientação e debate da Pré-Olimpiada Nacional em História do Brasil (ONHB) 2020, do professor  Ricardo Henrique Borges Behrens, e o Projeto Interfaces, do professor Hilton Leal da Cruz.
  11. Realizamos a I Semana Acadêmica Virtual da Licenciatura em Matemática, entre os dias 18, 19 e 20 de maio, a qual teve inscrições esgotadas;

O IFBA campus Valença está consciente de que os novos tempos demandarão novos estudos e tecnologias, mas também de que precisaremos de novas sensibilidades e inteligências interpessoais, por isso, assume o desafio de manter-se mobilizado e esperançoso de que nossa escola poderá representar uma possibilidade real de acolhimento e reencontro para nossa comunidade quando a pandemia arrefecer.

Por ora, fiquemos em casa, respeitemos os protocolos de saúde, cuidemos de si e dos que estão conosco. Valorizemos a vida e a presença de quem amamos. Em breve, estaremos juntos novamente.

Gestão do Campus Valença.

registrado em: