Você está aqui: Página Inicial > Campus Simões Filho > Notícias > 2020 > TAES NA REDE: Dra. Alessandra Araújo explica as "Infecções Sexualmente Transmissíveis na Adolescência (ISTs)"
conteúdo

TAES NA REDE: Dra. Alessandra Araújo explica as "Infecções Sexualmente Transmissíveis na Adolescência (ISTs)"

publicado: 03/07/2020 09h12, última modificação: 03/07/2020 09h12

Adolescência é o período compreendido entre 10 e 19 anos de idade (OMS), caracterizado por profundas transformações físicas e psicossociais, pelo despertar da sexualidade e separação simbólica dos pais, com o surgimento da “necessidade” de pertencimento a um outro grupo.

Sentimentos de invulnerabilidade, pensamento mágico e atitudes contestadoras são algumas das características  dos jovens, podendo levar a  comportamentos de risco, como não usar  métodos anticonceptivos, especialmente  preservativos, o  uso de álcool e de outras drogas. 

Comportamento de risco é algo que aproxima o indivíduo da doença,  da violência e da morte.

 

As IST são causadas por vírus, bactérias, fungos e outros microrganismos, transmitidos principalmente por contato sexual (vaginal, anal e oral) sem o uso de preservativo masculino ou feminino, com uma pessoa que esteja infectada. A transmissão pode ainda acontecer de mãe para filho durante a gestação, o parto ou a amamentação (transmissão vertical), e pela utilização de seringas, agulhas ou outro material pérfuro cortante ( incluindo giletes e alicates de unha) .

A pessoa ter e transmitir uma infecção ( sexualmente transmissível), mesmo estando sem sinais de que é portadora ( de uma ou mais ISTs ).                                                 

As principais IST são acomodadas em quatro grupos  de sintomas e sinais:

 1)úlcera genital,

 2)corrimento vaginal e uretral,

 3)desconforto ou dor pélvica ,

 4) lesões verrucosas.

AS GENITAIStologia

iAgent etiológico

AA Perações clínicas

 A Sífilis é a principal representante do grupo das úlceras genitais.

É doença freqüente e que tem crescido a incidência por falta de uso de preservativo e variedade de parceiros. Evolui em fases, se não tratada. Pode ser assintomática ou passar despercebida no início, e tem graves conseqüências na fase terciária, podendo levar à morte. 

 

 Agente etiológico : bactéria Treponema pallidum

Sífilis primária (“cancro duro”) - 10 a 90 dias após contato sexual surge úlcera única, indolor, base endurecida, fundo limpo (em pênis, vulva, vagina, colo uterino, ânus ou boca). A lesão desaparece em duas a seis semanas. Linfoadenopatia ( ínguas) indolor; se não tratada, evolui para :

 

a)Sífilis latente precoce (< 1 ano) e tardia (> 1 ano): não há sinais e sintomas,

diagnóstico por testes sorológicos; ou :

b)Sífilis secundária (seis semanas a seis meses após a infecção) -  manchas vermelhas em tronco, manchas vermelhas/ descamando em palma de mãos, planta dos pés; placas vermelhas e brancas em mucosas; queda de cabelos em clareira, perda de cílios e de sobrancelhas,hepatite,meningite e uveíte. Os sinais e sintomas desaparecem em semanas e , se não tratada, evolui para a fase terciária:

Sífilis terciária (após 3 a 12 anos) - lesões cutâneo-mucosas (caroços),neurológicas, aneurisma aórtico,  lesões em ossos e articulações.

 

Herpes simples

Agente etiológico: Vírus HSV-1 e HSV-2

Na primoinfecção há febre, mal-estar, dor no corpo, dor ao urinar, disúria e íngua inguinal dolorosa bilateral (50% dos casos). Lesões: eritemato-papulosas ( “bolinhas”) de um a três milímetros de diâmetro, que evoluem para vesículas dolorosas, com conteúdo amarelo, que se rompem formando pequenas úlceras.

 

Cancroide (cancro mole)

 Causada pela bactéria Haemophilus ducreyi

Múltiplas lesões dolorosas, bordas irregulares, contornos elevados, vermelhos, com fundo recoberto por exsudato necrótico, amarelado, odor fétido; sangra facilmente. Ocorre linfadenomegalia dolorosa inguinal e perineal.

 

Linfogranuloma Venéreo

 Agente causador : bactéria Chlamydia trachomatis

Evolução em três fases: 1) inoculação: presença de pápula, pústula ou exulceração indolor;

2) disseminação linfática regional com linfadenopatia inguinal, unilateral em 70% dos casos;

3) sequelas: supuração e fistulização com múltiplos orifícios dos gânglios. 

 

Donovanose ou granuloma inguinal

Causada pela bactéria: Klebsiella granulomatis

Úlceras de bordas planas ou hipertróficas, com fundo granuloso, vermelho , sangramento fácil, com evolução lenta, podem se tornar vegetantes. As lesões podem ser múltiplas, bilaterais, em “espelho”, em bordas cutâneas e/ou mucosas. RETRAL

Agente/s etiológico/sções clínicas

ISTs que se apresentam de corrimento vaginal e uretral são causadas por:

Neisseria gonorrhoeae, Chlamydia trachomatis, ( bactérias)

 Trichomonas vaginalis ( protozoário unicelular)

Candida spp. (C. albicans, C. glabrata)( fungos)

 

Vaginose bacteriana (Prevotella spp.,Gardnerella vaginalis, Ureaplasma spp.,Mycoplasma spp.)

Corrimento vaginal de volume variável, mudança de cor e odor, prurido, dispareunia e disúria. 

Ocorre por desequilíbrio da microbiota vaginal pelo crescimento excessivo de bactérias anaeróbias.

 ISTs do grupo do desconforto ou dor pélvica

 Podem ser agentes causadores as bactérias :Clamydia trachomatis, anaeróbios (Ureaplasma spp., Mycoplasma spp),Streptococcus B hemoliticus

Decorre da migração ( ‘subida”) da infecção do trato genital inferior para endométrio, trompas e até

peritônio. O desconforto ou dor abdominal baixa pode apresentar-se com febre e dor à mobilização do colo uterino, além de drenagem mucopurulenta endocervical( saída de pus pelo colo do útero).

VERRUGAS ANOGENITAIS

Verrugas anogenitais: causadas pelo Papilloma vírus humano (HPV)

Lesões exofíticas ( verrucosas), mas a maioria é assintomática. Vários subtipos estão associados ao carcinoma do colo uterino, por isso é importante a vacinação contra o HPV.

 

SIDA/ AIDS : é uma síndrome causada pelo vírus da Imunodeficiência Humana ( HIV). A transmissão é sexual, ou por sangue contaminado, assim como as hepatites virais B e C.

O HIV é um vírus cuja incidência tem crescido entre jovens, devido aos comportamentos de risco, bem como as hepatites virais. Não há cura para o HIV. Há controle e acompanhamento, bem como  para as hepatites virais, sendo os vírus B e C grandes responsáveis por causar câncer de fígado e perda  total da função de um órgão, sem o qual o indivíduo não sobrevive.

 

As ISTs são doenças que podem ser tratadas se diagnosticadas a tempo. Entretanto, podem ocorrer de forma assintomática, e terem conseqüências muito graves e até levarem à morte. HIV, Sífilis Terciária, alguns tipos de HEPATITES, não têm cura, só tratamentos.

O preservativo deve ser usado em todas as relações sexuais, mesmo quando já se considera uma relação estável, um “namoro sério”.

 

Como podemos ser úteis no IFBA :

O médico pode avaliar comportamentos de risco e o conhecimento do adolescente sobre sexualidade e saúde reprodutiva.

Podemos conversar sobre o ciclo menstrual, cuidados com a higiene íntima, corrimento vaginal, fisiológico ou não, corrimento uretral, afetividade, relação sexual e suas implicações.

O adolescente é um sujeito de direitos e deveres, e deve se preservar, se cuidar, se responsabilizar pelos próprios atos e escolhas, e jamais “ir na onda” de um amigo, namorado, ou daquilo que leu na internet.

Estamos à disposição para atendê-los no serviço de saúde, de forma simples e confiável.

Sinalizem e nos procurem, se sentirem necessidade.

 

Alessandra Araujo

CRM 15013, RQE 5343

Médica no IFBA- Simões Filho

 

 

 

 

registrado em: