Você está aqui: Página Inicial > Campus Simões Filho > Artigos até 2018 > Estudantes visitam APA do IFBA Simões Filho
conteúdo

Estudantes visitam APA do IFBA Simões Filho

publicado: 29/06/2017 12h03, última modificação: 29/06/2017 12h03

Hoje (3/ 4/ 2014), pela manhã, um grupo de 50 alunos da Escola Municipal Padre Luiz Palmeira fez uma visita ecológica à Área de Preservação Ambiental (APA) Joanes-Ipitanga que corta o IFBA Simões Filho. O ponto alto do passeio foi a nascente do Rio Ipitanga, que fornece 40% da água consumida na Região Metropolitana de Salvador. À tarde, outra escola está agendada para conhecer a área verde do campus.

Ver álbum de fotos

A iniciativa do projeto foi da EMBASA, juntamente com a Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Simões Filho (SEMMA). Élcio Santana, fiscal ambiental da SEMMA, explicou que o objetivo é conscientizar alunos da 5ª e 6ª séries sobre a importância da preservação dos recursos naturais. “Estamos trabalhando na revitalização das nascentes e matas ciliares do município. Por isso é necessário divulgar a necessidade de preservação desse patrimônio”, disse.

O diretor da instituição, prof. Rui Mota, deu início à visita ressaltando os problemas ambientais causados pela destruição dos mananciais de mata nativa do planeta: aquecimento global, secas, enchentes, aumento do nível dos mares, dentre outros. Depois, os alunos seguiram os guias pelas trilhas que cortam a APA até a Lagoa dos Tocos, onde fica a nascente do Ipitanga.

A vice-diretora do turno vespertino da escola Luiz Palmeira falou sobre a experiência: “Essa foi uma aula muito importante, pois tirou os garotos de suas rotinas nas salas de aula para mostrar a importância da preservação da natureza, em um local que eles nem sabiam que existia”.

Os alunos se espalharam pelas trilhas, vibrando com a experiência. Alex de Souza, 10 anos, estudante da quinta série, falou sobre o passeio: “Foi muito legal conhecer mais sobre o meio ambiente e a necessidade de preservação”, disse. Já o estudante da sexta série, Felipe Rabello, 12 anos, lamentou não ter visto animais como cobras, tatus, raposas e répteis que habitam a APA: “Com tanta gente, os bichos se escondem. Mas um dia ainda volto para vê-los”, disse. 

registrado em: