Você está aqui: Página Inicial > Campus Salvador > Comunicação > Notícias > 2021 > Campus Salvador transmite cerimônia de premiação de Olimpíada Feminina neste domingo (19)
conteúdo

Campus Salvador transmite cerimônia de premiação de Olimpíada Feminina neste domingo (19)

por Henrique Soares publicado: 17/09/2021 15h53, última modificação: 17/09/2021 17h42

OFMEBA_2021_medalhas_horizontalA cerimônia de premiação da primeira Olimpíada Feminina de Matemática do Estado da Bahia (OFMEBA) vai acontecer neste domingo (19), das 14h às 15h, e será transmitida pelo canal Comunicação SSA IFBA no YouTube.

Mediada por Nara Bigolin, professora da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) que coordena o Movimento Meninas Olímpicas e o Torneio Feminino de Computação, a solenidade vai contar com a participação do diretor-geral do campus Salvador, Ives Lima, do coordenador geral da OFMEBA, Acelio Rodrigues, do coordenador da  Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM), Edmilson Motta, da vice-presidente da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM), Jaqueline Mesquita, da representante da comissão gestora do Torneio Matemática para Meninas (TMM), Maria Clara Werneck e da integrante das comissões de aulas e de comunicação da OFMEBA, Cinthia Nunes.

Na ocasião, serão premiadas 193 estudantes de 34 cidades baianas. Entre elas 45 alcançaram medalhas de ouro, 53 prata, 46 bronze e 49 medalhas de cristal. Além das estudantes ganharem medalhas, as professoras/es e escolas com premiadas receberão certificados. A coordenação da olimpíada informa que as estudantes que moram em Salvador poderão retirar as medalhas no campus Salvador no próximo dia 8 de outubro, das 14h às 17h. Já as que moram em outras cidades receberão orientações sobre a entrega das medalhas.

Essa primeira edição contou com 437 inscritas de 62 escolas da Bahia. Delas, 23 são privadas, 12 municipais e 10 estaduais, além do Colégio Militar de Salvador, do Instituto Federal Baiano e mais 15 campi do IFBA localizados nas cidades de Barreiras, Bom Jesus da Lapa, Brumado, Euclides da Cunha, Eunápolis, Ilhéus, Irecê, Jacobina, Jequié, Paulo Afonso, Porto Seguro, Seabra, Simões Filho, Vitória da Conquista e Salvador.

Acelio explica que no início da transmissão do próximo domingo será apresentado um vídeo comemorativo da 1ª OFMEBA que exibirá fotos das premiadas e, no final, será exibida e lida uma lista com o nome das premiadas. Entre elas estão as medalhistas de ouro Mariana Borges e Anna Catharina Sena, respectivamente estudantes dos cursos de edificações e mecânica do campus Salvador.

MEDALHISTAS DO CAMPUS SALVADOR

OFMEBA_2021_Anna_CatharinaAs duas estudantes participaram de diversas competições. Anna Catharina coleciona participações nas competições Olimpíada internacional de Mathématiques Sans Frontieres (OIMSF), M-Fluencers 6a Copa Brasil de Matemática, Olimpíada de Matemática do Estado da Bahia (OMEBA), XII Olimpíada de Matemática FZEA-USP, Olimpíada de Matemática das Instituições Federais (OMIF), Olimpíada de Matemática dos países dos BRICS (BRICS MATH), Olimpíada Canguru de Matemática, IF Olimpíada de Matemática (IFOMAT) e, pela primeira vez este ano, da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP). Já Mariana participou de competições como OBMEP, Olimpíada de Matemática da Unicamp (OMU), Canguru de Matemática Brasil, OMIF, Olimpíada de Matemática do IFSul (IFOMAT) e a “Purple Comet! Math Meet!”.

Mariana lembra que se preparou pegando o caderno de questões da OBMEP e resolvendo os exercícios por diversão “no tempo livre que eu tinha, pra desestressar um pouco. Acho que meu conhecimento prévio me ajudou bastante”. Já Anna Catharina destaca as lives preparatórias transmitidas pelo canal do campus Salvador no You Tube e provas antigas de outras olimpíadas. Ela também contou com a ajuda do colega Matheus Rebouças, também medalhista em outras olimpíadas.

As duas relatam que sentiram ansiedade e nervosismo durante as provas e, mesmo com as conquistas anteriores, ainda conseguiram se surpreender após a divulgação do bom resultado alcançado já que, mesmo com o bom histórico das duas, não tinham expectativas de vitória.

E para quem acredita que, com os excelentes resultados, as duas pretendem cursar matemática na universidade, elas planejam outros caminhos. Mariana quer cursar licenciatura em desenho e plástica/artes visuais e Anna Catharina pretende se tornar engenheira naval, sonho que cultiva desde o ensino fundamental.  “Matemática pra mim é algo que gosto de fazer para me divertir, apesar de que amo dar aulas particulares e ensinar matemática também parece divertido. As olimpíadas são realmente só uma fonte de lazer para mim”, destaca Mariana.

OFMEBA_2021_Mariana_BorgesSobre a iniciativa do campus Salvador organizar a competição, Mariana acredita ser “extremamente interessante, o próprio Instituto é cheio de talentos que às vezes podem ser desperdiçados pela falta de incentivo. Ainda que existam eventos que proponham debater e incentivar o lugar das mulheres nas ciências e áreas exatas, os grupos de preparo para as olimpíadas e os medalhistas são majoritariamente masculinos. Criar uma olimpíada com esse enfoque pode ser um pontapé inicial para várias mulheres e fonte de inspiração para outras”. Anna Cathariana vai na mesma linha e pontua que uma olimpíada feminina é relevante para “o reconhecimento e incentivo das próximas gerações de meninas nas áreas das ciências exatas, principalmente, na matemática. Acredito que o IFBA está cumprindo o seu papel enquanto uma instituição educacional ao romper os estereótipos e promover uma educação sem gênero, onde meninos e meninas poderão ter o livre arbítrio de decidirem a área que desejam cursar, recebendo o mesmo apoio e auxílio dos professores”.

A competição foi voltada para estudantes do gênero feminino do 6º ao 9º ano do ensino fundamental e do ensino médio (incluindo a modalidade da Educação de Jovens e Adultos) de escolas públicas municipais, estaduais, federais e escolas privadas da Bahia. A OFMEBA foi idealizada para motivar a participação das meninas baianas nas demais olimpíadas científicas e aumentar a representatividade feminina entre os premiados.

CIDADES DAS MEDALHISTAS DA 1ª OFMEBA

Abaíra, Angical, Barra da Estiva, Barreiras, Bom Jesus da Lapa, Botuporã, Brumado, Camaçari, Cordeiros, Euclides da Cunha, Eunápolis, Feira de Santana, Gandu, Ibiassucê, Ilhéus, Ipiaú, Iraquara, Irará, Irecê, Itabuna, Jacobina, Jequié, Paramirim, Paulo Afonso, Poções, Porto Seguro, Ribeira do Pombal, Salvador, Santa Inês, Santa Maria da Vitória, São Francisco do Conde, Seabra, Simões Filho e Vitória da Conquista.

Fotos: divulgação (imagem inicial superior) e arquivo pessoal (Anna Catharina à esquerda e Mariana Borges à direita).