Você está aqui: Página Inicial > PROEN > Notícias > 2019 > “Dia do Professor”: IFBA intensifica ações para aperfeiçoamento dos profissionais
conteúdo

Notícias

“Dia do Professor”: IFBA intensifica ações para aperfeiçoamento dos profissionais

por Helen Sampaio publicado: 14/10/2019 14h16, última modificação: 14/10/2019 15h37

Ensinar, pesquisar, compartilhar e construir conhecimentos, mostrar caminhos, acompanhar, criar e reinventar. Essas são algumas das características daqueles que contribuem, diariamente, para a formação de outros tantos profissionais. Nessa terça-feira (15), em que se comemora, oficialmente, o Dia do Professor, no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA), muitos deles estarão ministrando aulas, orientando estudantes, realizando atividades extraclasses, treinando modalidades esportivas, participando de congressos e encontros de formação, produzindo materiais para pesquisa e criando novas soluções tecnológicas para resolver problemas da sociedade.

Pró-reitora em evento sobre a formação de profissionais em Educação
A pró-reitora Jaqueline de Oliveira, em evento sobre a formação de profissionais em Educação
Isso porque, cada vez mais, esses profissionais têm buscado se aperfeiçoar e contribuir de forma mais completa para a formação dos estudantes.  “O docente saiu da posição de detentor do conhecimento para ser um mediador. As questões relacionadas à contemporaneidade nos fazem refletir, a todo o momento, o que é ser professor”, destaca a pró-reitora de ensino e professora, Jaqueline de Oliveira.

Atualmente, o IFBA conta com 1.728 professores, entre efetivos do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (EBTT) e do Magistério Superior, e professores substitutos. São profissionais com formações, especializações, mestrados e doutorados em diversas áreas do conhecimento e regimes de trabalho de 20h, 40h e de Dedicação Exclusiva (DE). “O grande número de mestres (841) e doutores (372) em nossa Instituição reflete o ensino de excelência do IFBA, percebido nos altos índices de aprovação que nós possuímos hoje, como o Conceito Preliminar de Curso (CPC),  o Índice Geral dos Cursos (IGC) e a nota do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade). Nossos docentes têm uma grande participação em cursos, congressos e eventos relacionados à área, o que aprimora, cada vez mais, seus conhecimentos e isso reflete em sala de aula. Hoje, a maioria é de DE,  o que aumenta as contribuições para nossa Instituição, pois eles atuam também em pesquisa e extensão”, pontua Jaqueline.   

Professor e estudante apresentando pôster sobre o projeto em evento científico de referência em ensino de física_sp.jpeg
Professor Beliato e estudante em apresentação de pôster em evento de referência na área de Física
É o que também exalta o professor e diretor geral do campus Jacobina, Beliato Campos. “Há cinco anos leciono no IFBA. Por aqui encontrei condições de trabalho que ultrapassam a sala de aula. Trabalhamos com pesquisa e extensão, proporcionando aos alunos atividades práticas em laboratórios e compartilhando o conhecimento com outras instituições, como fizemos com o projeto extensionista ‘Aplicativo para o ensino de Ciências’, através do qual exploramos as potencialidades das tecnologias digitais para dinamizar o ensino das ciências da natureza para as séries iniciais (fundamental), visando à formação crítico-reflexiva. Nossa ideia é tornar os conteúdos mais atrativos, dinâmicos e acessíveis por meio da ludicidade. O projeto nos rendeu menção no portal e na rádio MEC, além de convite para realizar palestra na Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb), compartilhando os desafios e as conquistas da experiência”, afirma.

registros do projeto Aplicativo para o ensino de ciências_teste do app com alunos de escola fundamental (4).jpeg
Registro do projeto Aplicativo para o ensino de ciências
Visando dar ainda mais subsídios aos professores para que exerçam suas atividades, a Pró-Reitoria de Ensino (Proen), tem realizado ações e cursos de aperfeiçoamento. Um exemplo é o curso de Licenciatura em Educação Profissional e Pedagógica, na forma especial de Formação Pedagógica para docentes que são bacharéis e/ou tecnólogos não licenciados. “É uma formação de 1.100 horas, seguindo a Resolução nº 02/2015, destinada aos nossos docentes que atuam na Educação Básica, mas que não possuem uma licenciatura, conforme LDB e Meta 15 do Plano Nacional de Educação. A meta 15 do PNE 2014-2024 visa garantir que todos os professores da Educação Básica sejam formados em curso de licenciatura de nível superior, na área em que atuam”, enfatiza a pró-reitora.

Como outra dessas ações para aperfeiçoamento, amanhã, às 14h, será lançada, na Reitoria, a cartilha de “Práticas Acadêmicas Inclusivas”, construída com o objetivo de auxiliar os docentes nas suas práticas de sala de aula, além de expandir a promoção da inclusão plena dos estudantes com deficiência e/ou outras necessidades específicas. O lançamento será transmitido, via webconferência, e contará com palestras sobre Educação Inclusiva e Adaptações pedagógicas para estudantes com deficiência.