Você está aqui: Página Inicial > Campus Paulo Afonso > Cursos > Graduação > Engenharia Elétrica
conteúdo

engenharia eletrica SUPERIOR PA

ENGENHARIA ELÉTRICA - Campus Paulo Afonso

Ficha Técnica do Curso
FormaSuperior
TurnoNoturno - Segunda à Sexta: 16:50 às 22:00 h
Diurno    - Sábados: 07:00 às 13:00 h
Tempo para Integralização:Mínimo: 5 (cinco) anos 
Máximo: 9 (nove) anos
Número de Turmas: 02 Turmas de 40 Alunos/Anual
Oferta de Vagas40 vagas/semestral

Carga Horária

Carga Horária Teórica: 2990 horas
Carga Horária Prática:  370 horas
Carga Horária de Estágio: 180 horas
Carga Horária Total: 3.630 horas

Regime letivo

Semestral - Cada período tem duração de 100 dias letivos.

Dimensão das Turmas:
Aulas teóricas: até 50 alunos;
Aulas práticas até 20 alunos.
ModalidadePresencial
Habilitação:Bacharelado em Engenharia Elétrica, ênfase em Eletrotécnica.
Forma de ingressoSisu/ENEM
Reconhecimento do MECResolução Consup n° 42 de 08 de agosto de 2011. Renovação de reconhecimento: Portaria nº 376, de 29 de maio de 2018, DOU de 30 de maio de 2018.                                   
Nota do ENADE
4,0


Contatos

  • Coordenador: Maurício Sobral Brandão
  • Formação/Titulação: Mestrado
  • Currículo Lates: link
  • Contato: Tel (75) 3281-9428-ramal 1515
  • Email:  

Laboratórios

  • Laboratório de Automação
  • Laboratório de Eletrônica
  • Laboratório de Eletrotécnica
  • Laboratório de Informática
  • Laboratório de Física
  • Laboratório de Química
  • Laboratório de Desenho Técnico

Matriz curricular

Sobre o curso

O Curso de Engenharia Elétrica tem como objetivo geral, formar profissionais,habilitados em Eletrotécnica, com sólida formação técnica, científica e profissional e de forma interdisciplinar, capacitando-o para que possa absorver e desenvolver novas tecnologias na área, despertando no mesmo a crítica e a criatividade para identificar e resolver problemas, de modo a atender às demandas da sociedade, bem como para o desenvolvimento sustentável da região e do país.

 

Objetivos Específicos da formação do Engenheiro Elétrico 

  • Possibilitar uma formação interdisciplinar do engenheiros eletricistas, capacitando-o para atender às diferentes solicitações do mercado de trabalho, com uma visão crítica e inovadora através de uma significativa formação básica, geral e humanista, associada à sua formação profissional específica;
  • Formar engenheiros eletricistas com amplo conhecimento para atuarem na área da Eletrotécnica e suas subáreas, preparando o profissional para exercer suas atividades de forma plena; 
  • Realizar atividades de ensino, pesquisa e extensão em Engenharia Elétrica buscando a excelência, com visão crítica e criativa, contribuindo para o atendimento das necessidades da sociedade e seu desenvolvimento sustentável, pautado nos princípios da ética profissional;
  • Identificar, formular e buscar soluções para problemas científicos, experimentais e teóricos, práticos ou abstratos, fazendo uso de conhecimentos técnico e científico obtidos durante o curso e de instrumentos laboratoriais, computacionais ou matemáticos adequados;
  • Proporcionar conhecimentos técnicos e científicos que sirvam de instrumento estimulador para o campo de atuação profissional e para o ingresso em programas de pós-graduação, dando continuidade à produção de conhecimento e ao desenvolvimento sustentável da região e do país.

 


Perfil do futuro profissional (egresso)

No campo da Engenharia, a rapidez com que ocorrem as transformações científicas e tecnológicas tem um efeito ainda mais contundente. A Engenharia Elétrica, por tratar-se de uma área onde o surgimento das novas tecnologias tem repercussão praticamente imediata, o vertiginoso ritmo das inovações exige do Engenheiro Eletricista a capacidade de compreendê-las e de absorvê-las com rapidez e eficiência.

Além de conhecimento, habilidades e competências técnicas, o Engenheiro Eletricista deve desenvolver consciência dos aspectos humanísticos, sociais, éticos e ambientais envolvidos na sua ação profissional.

O perfil do profissional formado pelo IFBA Campus de Paulo Afonso está definido na RESOLUÇÃO CNE/CES 11, DE 11 DE MARÇO DE 2002 que especifica um “engenheiro com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva, capacitado a absorver e desenvolver novas tecnologias, estimulando a sua atuação crítica e criativa na identificação e resolução de problemas, considerando seus aspectos políticos, econômicos, sociais, ambientais e culturais com visão ética e humanista, em atendimento às demandas da sociedade”.

Como a ênfase do Curso de Engenharia Elétrica é na modalidade Eletrotécnica, o profissional formado pode realizar as atividades, citas na resolução, referentes à geração, transmissão, distribuição e utilização da energia elétrica; equipamentos, materiais e máquinas elétricas; sistemas de medição e controle elétricos; seus serviços afins e correlatos.

Além disso, é esperado o desenvolvimento da capacidade de raciocínio lógico, de observação, de interpretação e de análise de dados e informações, para que o profissional desenvolva soluções para problemas referentes a áreas.

Ainda nesse contexto, o curso de Engenharia Elétrica forma um profissional apto a exercer as atividades profissionais definidas na Lei n. º 5.194, de 24 de dezembro de 1966, que regula o exercício das profissões de Engenheiro, Arquiteto e Engenheiro-Agrônomo, e na Resolução n.º 218, de 29 de junho de 1973, do Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CONFEA), que discriminam atividades das diferentes modalidades profissionais da Engenharia, Arquitetura e Agronomia.

Habilidades do profissional

O Engenheiro Elétrico será capaz de desenvolver as seguintes  atividades: 

  • Aplicar conhecimentos matemáticos, científicos, tecnológicos e instrumentais à engenharia;
  • Projetar e conduzir experimentos e interpretar resultados;
  •  Conceber, projetar e analisar sistemas, produtos e processos;
  • Planejar, supervisionar, elaborar e coordenar projetos e serviços de engenharia;
  • Identificar, formular e resolver problemas de engenharia;
  • Desenvolver e/ou utilizar novas ferramentas e técnicas;
  • Supervisionar a operação e a manutenção de sistemas;
  • Avaliar criticamente a operação e a manutenção de sistemas;
  • Comunicar-se eficientemente nas formas escrita, oral e gráfica;
  • Atuar em equipes multidisciplinares;
  • Compreender e aplicar a ética e responsabilidade profissionais;
  • Avaliar o impacto das atividades da engenharia no contexto social e ambiental;
  • Avaliar a viabilidade econômica de projetos de engenharia;
  • Assumir a postura de permanente busca de atualização profissional.(RESOLUÇÃO CNE/CES 11, DE 11 DE MARÇO DE 2002, pag 1 2002, ).

Especificamente na área de abrangência da Engenharia Elétrica, o profissional estará apto a: 

  • Equacionamento de problemas de Engenharia Elétrica, utilizando conhecimentos de eletricidade, matemática, física, química e informática, com propostas de soluções adequadas e eficientes;
  • Criação e utilização de modelos aplicados a dispositivos e sistemas elétricos e magnéticos;
  • Coordenação, planejamento, operação e manutenção de sistemas na área de Engenharia Elétrica;
  • Análise de novas situações, relacionando-as com outras anteriormente conhecidas;
  • Aplicações de conhecimentos teóricos de Engenharia Elétrica a questões gerais encontradas em outras áreas;
  • Comunicação oral e escrita;
  • Visão crítica de ordem de grandeza;
  • Leitura, interpretação e expressão por meio de gráficos.




 

Áreas de atuação


  • Automação: Projetar equipamentos eletrônicos destinados à automação de linhas de produção industrial.
  • Eletrônica: Desenvolver circuitos eletrônicos para aquisição de dados (por exemplo, áudio, temperatura, umidade, pressão), transmissão de dados por radiofrequência, entre outros.
  • Eletrotécnica: (potência e energia) Planejar e operar sistemas elétricos. Projetar e construir usinas, estações, redes de geração de energia e equipamentos dos sistemas de geração, transmissão e distribuição. Ampliar e reparar as redes de alta-tensão.
  • Engenharia biomédica: Projetar e construir equipamentos médico-assistenciais em hospitais, clínicas e laboratórios.
  • Hardware e programação (computação): Desenhar componentes e desenvolver sistemas.
  • Instrumentação: Projetar e desenvolver equipamentos para a realização de medidas, registro de dados e atuadores.
  • Microeletrônica: Projetar, fabricar e testar circuitos integrados (chips) destinados a sistemas de computação, telecomunicações e de entretenimento, entre outras finalidades.
  • Telecomunicações: Desenvolver serviços de expansão de telefonia e de transmissão de dados por imagem e som. Projetar e construir sistemas e equipamentos para telefonia e comunicação em geral e de processamento digital de sinais.
  • Atuar no planejamento e no desenvolvimento de projetos na área

Publicações

Representação estudantil

Luminus JR -  Empresa Junior de Eng. Elétrica 

Diretora Geral: Mayara Cordeiro França
Telelefone: (75) 9 8825-1241

E-mail: luminusjr@gmail.com

Orgãos Representativos

  • Nome do colegiado do curso / NDE (link)

Tel:
E-mail:
- Portaria do colegiado (link para o doc)
- Portaria da comissão do NDE (link para o doc)

  • Conselho profissional (linkado, se houver)

Tel: 
E-mail: 

Campus de Paulo Afonso: Rua Marcondes Ferraz, nº200 - General Dutra, Paulo Afonso - Ba | CEP: 48607-000 | Tel.:  (75) 3281-9428
Copyright © 2017 Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia - IFBA. Todos os direitos reservados.