Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2022 > IFBA e SNPIR celebram termo para execução do Projeto Ialodês da Bahia, que vai beneficiar 400 mulheres negras, quilombolas, pescadoras e marisqueiras
conteúdo

IFBA e SNPIR celebram termo para execução do Projeto Ialodês da Bahia, que vai beneficiar 400 mulheres negras, quilombolas, pescadoras e marisqueiras

O evento de celebração será realizado nesta segunda-feira (20), em Salvador, e contará com a participação de lideranças das comunidades beneficiadas, da reitora Luzia Mota e do secretário nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SNPIR), Paulo Roberto.
por Bárbara Souza publicado: 19/06/2022 17h19, última modificação: 19/06/2022 17h38

Nesta segunda-feira (20), o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA) celebra o Termo de Execução Descentralizada (TED) com a Secretaria Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SNPIR) do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), que beneficiará de forma direta 400 mulheres de bairros populares de Salvador, Ilha de Maré – que pertence ao município de Salvador- e Candeias, na oferta de cursos e oficinas, através da execução do Projeto Ialodês da Bahia: Geração de Emprego, Renda e Bem Viver para Mulheres Negras e Quilombolas.

O evento de assinatura do termo será realizado a partir das 14h30 na sala de reuniões do Conselho Superior (Consup), na Reitoria do IFBA, no bairro do Canela, em Salvador, contará com a participação da reitora do IFBA, Luzia Mota, de lideranças das comunidades atendidas e do secretário nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial do MMFDH, Paulo Roberto. Antes, às 14h, o secretário Paulo Roberto e sua assessoria serão recepcionados no Gabinete da reitora.  

Curso de gestão da comunicação, negócios e atendimento ao público, curso de crochê, curso de renda de bilro e curso básico de culinária baiana, culinária nordestina e comida de boteco estão entre os cursos ofertados pelo Projeto, que irá disponibilizar quase 2 mil vagas e beneficiar 400 mulheres negras, quilombolas, pescadoras e marisqueiras. Também serão ministradas oficinas de trança-afro e turbante e de automaquiagem.

“As formações contemplam setores de trabalho com comprovada demanda no Estado da Bahia, em especial, no setor de serviços, que apresenta grave carência de mão de obra especializada” descreve o texto do Projeto, que busca contribuir para a inserção e a permanência das mulheres negras, e quilombolas no mercado de trabalho.

Os cursos e oficinas, assim como os atendimentos psicossociais ofertados serão realizados presencialmente nas comunidades atendidas e gerenciados pela Diretoria de Políticas  Afirmativas e Assuntos Estudantis (Dpaae), em parceria com a Coordenação Institucional do Programa Universidade Aberta Educação do Brasil (UAB/IFBA), responsáveis pela elaboração das capacitações, pela seleção dos(as) profissionais que atuarão no Ialodês da Bahia e pela execução do Projeto.

COMUNIDADES ATENDIDAS

O público-alvo dos cursos/oficinas e atendimentos a serem oferecidos é constituído integralmente de mulheres negras e quilombolas em situação de vulnerabilidade social e econômica oriundas de comunidades tradicionais quilombolas, comunidades urbanas de bairros populares da cidade de Salvador e pescadoras e marisqueiras de Candeias.

Aspectos sociais, econômicos, geográficos e culturais inerentes a cada grupo foram considerados no processo de escolha das comunidades a serem atendidas pelo Projeto Ialodês da Bahia: Geração de Emprego, Renda e Bem Viver para Mulheres Negras e Quilombolas.

“Na Ilha de Maré, segunda maior ilha da Baía de Todos-os-Santos, território quilombola (o bairro mais negro de Salvador); ainda serão disponibilizadas vagas nos cursos e oficinas assim como nos bairros populares de Salvador e no município de Candeias com expressiva atuação das Mulheres Pescadoras e Marisqueiras”, detalha o texto do projeto, que prevê também a criação de um canal de comunicação para divulgação e comercialização das atividades e produtos desenvolvidos durante a sua execução.

“A capacitação das 400 mulheres negras proposta por meio do Projeto constitui importante ação de apoio e incentivo às mulheres dos grupos a serem atendidos, por oferecer alternativas de fomento à cidadania, preservando as características socioculturais locais das comunidades nas quais o Projeto se delineia”, define o texto do projeto, cujo cronograma de execução prevê a realização de atividades durante um ano, a partir de junho de 2022. 

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO

Data: 20 de junho de 2022, segunda-feira.

Local: Reitoria do Instituto Federal da Bahia- IFBA. Avenida Araújo Pinho, 39. Canela. Salvador. Bahia.

 
14h30. Abertura e boas-vindas

Local: Sala do Consup   

Luzia Mota – Reitora do IFBA
Elis Lopes- Pró-reitora de Desenvolvimento Institucional (Prodin)
Nívea Cerqueira - Pró-reitora de Extensão (Proex)
Marcelo dos Santos Bispo - Pró-reitor de Administração e Planejamento (Proap)
Marcilene Garcia de Souza- Diretora de Políticas Afirmativas e Assuntos Estudantis (DPAAE)
Paulo Roberto- Secretário Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH)

14h45. Apresentação do Projeto

Apresentação do Projeto Ialodês da Bahia: Geração de Emprego, Renda e Bem Viver para Mulheres Negras e Quilombolas pela Diretoria de Políticas Afirmativas e Assuntos Estudantis (DPAAE) e Coordenação Institucional do Programa Universidade Aberta do Brasil (UAB/IFBA)

15h. Depoimento das Mulheres Negras, Quilombolas, Pescadoras e Marisqueiras

Depoimento sobre a importância do projeto Ialodês da Bahia: Geração de Emprego, Renda e Bem Viver para as Mulheres Negras e Quilombolas vistas pelas lideranças das comunidades beneficiadas: Bairros Populares de Salvador, Quilombolas da Ilha de Maré, Pescadoras e Marisqueiras de Candeias.

15h20. Lançamento do Projeto

Lançamento do Projeto Ialodês da Bahia com assinatura de documentos entre SNPIR e IFBA: secretário Paulo Roberto (SNPIR) e reitora do IFBA, Luzia Mota.

15h30. Apresentação Cultural.

Músicas que valorizam as mulheres negras, quilombolas, pescadoras e marisqueiras.

16h. Coquetel de encerramento

Coquetel de encerramento com culinária baiana.