Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2020 > Estudantes do IFBA receberão chips para acesso à internet
conteúdo

Estudantes do IFBA receberão chips para acesso à internet

Os 2.312 dispositivos recebidos na semana passada pelo Instituto já foram distribuídos para os campi. Os chips são destinados a estudantes dos diversos campi com renda familiar per capita de até meio salário-mínimo.
por Bárbara Souza publicado: 17/11/2020 11h10, última modificação: 20/11/2020 16h42

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA) recebeu e já encaminhou para os campi 2.312 chips que serão destinados a estudantes em condição de vulnerabilidade socioeconômica para viabilizar o acesso à internet e a participação nas Atividades Educacionais Não Presenciais Emergenciais (AENPE). Os dispositivos já foram distribuídos para os 22 campi, de acordo com o número de estudantes com tal perfil previamente identificados pelas respectivas unidades do IFBA. A logística e a operacionalização da entrega dos chips aos estudantes são de responsabilidade da gestão de cada campus.

A ação integra o plano de trabalho elaborado pelo IFBA, intitulado INCLUIIFBA: Nenhum@ estudante a menos, que foi aprovado pela Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec), do Ministério da Educação, pré-requisito fundamental para que o Instituto assegurasse o recebimento de recursos da ordem de R$ 1,5 milhão para aquisição tablets a serem emprestados a discentes em condição de maior vulnerabilidade social. Apesar de a verba ainda não ter sido liberada pela Setec, o IFBA comprou com recursos próprios 2.250 tablets, já enviados para os campi no último mês de outubro.

Os chips foram fornecidos pelo Projeto Alunos Conectados, do MEC, em conjunto com a Rede Nacional de Pesquisa (RNP), cujo objetivo é assegurar que durante a pandemia da covid-19 estudantes da rede pública de ensino - e em condições específicas de vulnerabilidade socioeconômica - tenham acesso à internet. Para isso, o projeto disponibiliza, em caráter emergencial, chips para celular com um pacote de dados inicial de 20 Gb, a estudantes com renda familiar per capita de até R$ 522,50 (meio salário-mínimo).

“Reafirmamos o compromisso da Gestão de assegurar a inclusão digital dos nossos estudantes e as condições necessárias para que todos possam realizar as AENPEs em condições melhores, mantendo a comunidade segura neste momento de pandemia. Estamos cumprindo o compromisso assumido de garantir a conexão dos estudantes, mesmo sem termos até o momento recebido os recursos do MEC”, afirma a reitora Luzia Mota, ao ressaltar a importância do empenho institucional para a continuidade das atividades acadêmicas não presenciais com segurança e proteção à saúde.