Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2020 > Estudantes de automação conquistam três premiações na Febrace
conteúdo

Estudantes de automação conquistam três premiações na Febrace

por Jamile Teixeira publicado: 16/04/2020 10h04, última modificação: 16/04/2020 10h47

Com um projeto que transforma a força dos ventos em energia elétrica em áreas urbanas, dois estudantes do curso técnico de automação industrial do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA), campus Salvador, conquistaram o primeiro lugar da categoria engenharia da 18a edição da Feira Brasileira de Ciência e Engenharia (Febrace), promovida pela Universidade de São Paulo. Victor de Andrade e Emerson da Rocha, orientados pelo professor e pesquisador Vitor Filardi, ganharam mais duas premiações: o Prêmio Associação dos Engenheiros Politécnicos e o Prêmio Abric de Excelência em Pesquisa, concedido pela Associação Brasileira de Incentivo à Ciência (Abric).

O aerogerador, originário de um projeto da Comissão Interna de Sustentabilidade Ambiental (Cisa) do campus, foi desenvolvido a partir do aproveitamento de sucata de ar-condicionado. O professor Filardi garante que o projeto “se trata de um novo conceito de captação”. A proposta é o desenvolvimento de aerogerador para ambiente urbano. Segundo o estudo, em situações regulares, o resultado obtido do potencial de geração de energia elétrica foi de 1.2 Wh, o que comprova a eficiência para zonas prediais da geração de energia elétrica, por meio da captação de energia eólica e, ainda, representa uma alternativa ao descarte de resíduo plástico.

O pesquisador acredita que o projeto, “uma vez produzido em escala maior, poderia ser instalado não só no Instituto, mas em toda a comunidade, em casas ou edifícios, para auxiliar no abatimento do custo da energia elétrica”, explica Filardi.

Foi a primeira vez que os estudantes Victor e Emerson participaram da Febrace, a feira que promove anualmente uma grande mostra de projetos. Este ano, como medida de prevenção contra a disseminação do novo coronavírus (Covid-19), o evento não aconteceu presencialmente. A Febrace foi realizada através da internet, de 23 de março a 3 de abril. Todas as atividades, como palestras, avaliações e premiações ocorreram de forma virtual, mas isso não desanimou os nossos competidores que precisaram readequar o vídeo e o pôster para que os visitantes virtuais da feira pudessem conhecer o projeto.ESTUDANTES.jpg

Emerson conta que a participação foi “uma experiência nova e desafiadora, pois até então a feira ocorria de maneira presencial. Devido a atual conjuntura, recebemos a notícia que a feira ocorreria de maneira virtual”. 

O estudante acrescenta: “fomos avaliados por duas bancas de avaliadores em dias distintos nos quais apresentamos nosso projeto através de videoconferência. A mesma coisa aconteceu com as palestras que estavam programadas, sendo possível, assim, contemplar toda a feira sem grandes perdas”, afirma o estudante.

Como a premiação foi online, no dia 4 de abril, os garotos acompanharam tudo de casa. O estudante Victor lembra como foi o anúncio da premiação: “O terceiro bloco, foi dedicado principalmente para anunciar os que receberiam os prêmios de quarto, terceiro, segundo e primeiro lugar em suas categorias. Engenharia era a última. Vieram então os anúncios de quarto lugar, depois de terceiro e em seguida os de segundo lugar e sempre aquele suspense quando estavam para anunciar o próximo projeto. Já no finalzinho da cerimônia, quando falaram que o próximo projeto era de Salvador e, apareceu nossa foto, a alegria tomou conta e comemoramos bastante mesmo que a distância” confessa.

Além das premiações e medalhas, os alunos do quarto ano do ensino integrado receberam um convite para submeter seu artigo para a Revista Scientia Prima, um periódico anual multidisciplinar, editado pela Abric. Apesar de não ser garantida a publicação, será mais um desafio que os jovens cientistas pretendem conquistar.

 Além dos estudantes do campus Salvador, o IFBA também foi representado pelos  alunos do 3o. ano de Eletromecânica do campus Santo Amaro. Álvaro Matos, Luiz Moreira  e  Rafael da Conceição, foram orientados pelo professor Raimison Bezerra de Assis e apresentaram o projeto “Síntese, Caracterização e Análise de propriedades fotoluminescentes do compósito K0,5Na0,5NbO3”.