Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2019 > Municípios do Sul da Bahia fazem 'mutirão' por novo campus do IFBA
conteúdo

Municípios do Sul da Bahia fazem 'mutirão' por novo campus do IFBA

publicado: 10/10/2018 00h00, última modificação: 23/09/2019 10h49

Foi iniciada nesta quarta-feira, 10, o serviço de terraplenagem do terreno onde será erguida a instalação do futuro Campus Mata Atlântica do IFBA, próximo ao Terminal Rodoviário do município de Camacan, a 525km ao sul de Salvador.

As obras serão realizadas em dois terrenos contíguos doados pela prefeitura de Camacan e pelo advogado Frederico Borges e a retroescavadeira foi emprestada pelo prefeito de Santa Luzia, Antônio Guilherme, que também ocupa a presidência do Consórcio Intermunicipal da Mata Atlântica (CIMA).

Antônio Guilherme conta que a união dos 12 municípios que integram o CIMA surpreendeu até mesmo o reitor do IFBA, Renato da Anunciação Filho. "Ele disse que nunca tinha visto um prefeito brigar pela cidade do outro, mas é que a gente aqui está muito consciente de que a nossa vida vai melhorar mil por cento com a chegada do IFBA”, justifica.

Camacan não foi escolhida por acaso. É o polo de uma região que abriga 170 mil pessoas distribuídas em 10 municípios, juntamente com Santa Luzia, Jussari, Mascote, Pau Brasil, Una, Canavieiras, Arataca, Itaju do Colônia e São José da Vitória. Todos integram o território de Identidade Litoral Sul, cujos maiores municípios, Ilhéus e Itabuna, concentram as maiores instituições de ensino médio e superior, obrigando os alunos a se deslocarem até 120km todos os dias para estudar.

"Vamos abrir fronteiras não só para Camacan, como para toda a região", declarou o empresário Frederico Borges de Barros, que, através do Instituto Águas Nascentes (IAN), doou um terreno próximo à rodoviária de 6 hectares ao IFBA. 

Barros, de 76 anos, que já foi prefeito de Potiraguá, também é advogado, mas prefere se apresentar com sua primeira profissão, a de professor. O desprendimento dele contagiou a comunidade local e o entorno: a prefeitura de Camacan entrou no circuito e desapropriou uma área contígua à doada pelo professor de 9 hectares, ampliando para 15 mil metros quadrados o espaço do novo instituto.

"Vai ser bom não só para os alunos de Camacan, que não vão mais precisar pegar a estrada, mas também para os dos municípios vizinhos, que vão gastar no máximo 30km pra chegar até aqui. Vai ser bom pra todo mundo", comemora o prefeito de Camacan, Oziel Bastos. "Estamos realizando um sonho", completou.

O prefeito assinou o decreto de desapropriação do terreno em favor do IFBA no dia 20 de julho. Na mesma data reuniu-se com Frederico Borges e o coordenador geral do Pronatec IFBA, Marco Antônio Góes, para tratar do início das obras. Também participaram do encontro realizado na sede do CIMA o presidente do colegiado e prefeito de Santa, Luzia, Antônio Guilherme, e os prefeitos de Jussari, Antônio Valete, e de Mascote, Arnaldo Lopes, além da secretária de educação de Pau Brasil, Soelma Silva Lima. 

 

PROJETO INOVADOR

As obras devem começar no mês de setembro e a previsão é a de que o primeiro módulo esteja concluído em dezembro. "Inicialmente o Campus da Mata Atlântica será um Centro de Referência dotado de um conceito de ensino profissionalizante que incorpora a vocação da região, que é a exploração das riquezas naturais de forma a gerar desenvolvimento socioeconômico aliado à preservação do meio ambiente", explica o reitor do IFBA, Renato da Anunciação Filho. 

O projeto do Campus Mata Atlântica foi amplamente debatido com a comunidade local. Um processo iniciado em 2015, quando o IFBA foi convidado a integrar juntamente com outras instituições de ensino públicas como a Universidade Estadual Santa Cruz (UESC), o debate sobre o futuro da região fomentado pelo Programa de Desenvolvimento da Mata Atlântica (Prodesema). 

Segundo Lanns Almeida, engenheiro agrônomo formado pela UESC, e coordenador técnico do Prodesema, espera-se que o IFBA assuma a parte de tecnologia, de automação, da industrialização de atividades como lutheria, móveis finos e cutelaria, entre outras. “O IFBA chega contextualizado com a realidade, discutido com a base”, enaltece. 

Camacan já conta com um polo do Pronatec-IFBA, no Colégio Estadual Anisio Loureiro. Para além dos cursos de Informática já existentes, está sendo proposta a implantação de novos em áreas para qual a região é vocacionada, como Identificador Florestal, Produtor de Plantas Aromáticas, Viveiricultor, Auxiliar de Laboratório de Saneamento, Instrumentalista Industrial, Assistente de Planejamento Programação e Controle de Produção.

A partir de 2019 o IFBA passará a oferecer cursos técnicos para alunos do ensino médio, provavelmente nas áreas de Controle Ambiental, Química, e Meio Ambiente. Gradativamente serão implantados cursos superiores para Tecnólogo, Bacharelado e de pós-graduação. "Aos poucos vamos melhorar a cidade e a região elevando o nível educacional da população. Este país só se conserta através da educação", ensina o ‘professor’ Frederico Barros.

registrado em: