Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2019 > IFBA fortalece Robótica e chega com maior peso à OBR 2019
conteúdo

Notícias

IFBA fortalece Robótica e chega com maior peso à OBR 2019

por Helen Sampaio publicado: 17/04/2019 18h04, última modificação: 17/04/2019 18h30

Estudantes e professores do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA) estão contando os dias para participarem da edição 2019 da Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR), considerada a maior competição da América Latina na área. As inscrições para o evento científico estão abertas, até o dia 17 de maio. Podem participar estudantes de escolas dos ensinos fundamental, médio ou técnico.

Nesse ano, segundo a coordenadora da “Caravana de Robótica” do IFBA e professora do campus Salvador, Andrea Bitencourt, o índice de participação será mais expressivo, em comparação à edição anterior do evento (aproximadamente,50% nas duas etapas), por conta de incentivos promovidos pela Instituição, através do edital de fomento à Robótica, lançado, em 2018, pela Pró-Reitoria de Extensão (Proex), que proporcionou capacitaçōes aos professores, bolsas auxílio aos estudantes e o envio de materiais para o desenvolvimento dos trabalhos em 18 unidades.

MEDALHISTA DE jacobina.JPG
Medalhista de Jacobina na OBR 2018
Dividida em duas modalidades (teórica e prática), a OBR é uma iniciativa do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e Ministério da Educação (MEC), em parceria com a Fundação Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Desde o seu lançamento, já reuniu mais de 720 mil estudantes e teve mais de três mil escolas representadas.

Na edição de 2018, o IFBA conquistou  diversas medalhas de bronze e de honra ao mérito; certificados de mérito estadual; além de premiações com o segundo lugar na etapa estadual da equipe HighGround e classificação para a etapa nacional, realizada em João Pessoa (PB); melhor programação da equipe Jimbots e melhor escola pública para a equipe Dream Team. Do total de 121 equipes inscritas na etapa prática, 47 foram do Instituto.

Além de participar como instituição competidora nas edições da OBR, o IFBA tem, cada vez mais, participado da elaboração das provas, através dos professores, e da arbitragem, por meio dos estudantes, sendo reconhecido como uma referência.

IFBA+Robótica

campus party 2.jpg
Alunos apresentam trabalhos 2ª Campus Party
As atividades relacionadas à Robótica foram iniciadas no IFBA em 2008, sob a coordenação de Andrea e do também professor do campus Salvador, Justino Medeiros. Até então, eram voltadas somente à pesquisa em Iniciação Científica (IC), através do grupo de Sistema de Automação em Mecatrônica (GSAM). A partir de 2013, as competições se tornaram uma possibilidade e o IFBA teve sua primeira participação na OBR. “Inicialmente, nós tínhamos “ilhas” desenvolvendo a Robótica no Instituto, isso foi evoluindo e conseguimos institucionalizar o processo com o lançamento do edital, o que nos trouxe uma cultura de fortalecimento da Robótica, através da realização de torneios locais (Robôifba) - e participações em diversos eventos, seja nas premiações ou na organização”, pontua Medeiros.

Outros resultados são apontados por Andrea. “A representatividade do Instituto é tão importante em nível estadual que os professores foram convidados para coordenar o espaço de Robótica da 2ª Campus Party - o Roboticampus -, que ocupou o maior espaço da área livre e contou com mostra interativa de trabalhos nas áreas de Robótica e Tecnologia Assistiva - através de um trabalho de inclusão com alunos surdos do IFBA -, além de diversos torneios. O evento foi incorporado a outras Campus Party, inclusive à edição Brasil”, destaca.

Outras premiações

Alunos premiados no Ifest 2019, na Tunísia
Estudantes do IFBA recebem prêmios em Festival na Tunísia
Como mais uma das conquistas em decorrência do trabalho desenvolvido na área de Robótica, os alunos David Lima do Nascimento, Lucas Morais Barreto e Marcos Vinicius Portella Santos, foram premiados com duas medalhas de bronze e uma de prata, na 10ª edição do International Festival of Engineering, Science and Technology (Ifest), realizado, em março, pela Associação Tunisiana para o Futuro da Ciência e Tecnologia. Os jovens foram os únicos representantes do Nordeste na delegação brasileira, que esteve entre os 1.200 participantes de 40 nações. Os projetos foram desenvolvidos no GSAM, com apoio do Polo de Inovação Salvador (PIS).

“Representar o Brasil e os jovens cientistas, na Tunísia, foi de excelência vivacidade. É emocionante quando você encontra jovens engajados, motivados e tão excelentes em suas respectivas áreas. Esse panorama mostra um bom futuro para a ciência brasileira, mostra uma quebra de paradigma, através da forte representatividade das mulheres, dos negros, tudo isto me emociona”, finaliza David Lima.