Você está aqui: Página Inicial > Campus Juazeiro > Notícias > 2020 > Novembro > Estudantes do 3º ano produzem revista sobre a primeira república no brasil
conteúdo

Estudantes do 3º ano produzem revista sobre a primeira república no brasil

publicado: 23/11/2020 22h38, última modificação: 23/11/2020 22h38

Durante a realização das AENPE, a professora Grazyelle, do componente curricular história, propôs aos estudantes do 3º ano a elaboração de conteúdos para uma revista digital, que teve como tema a Primeira República no Brasil. A atividade teve como um de seus objetivos, compreender a Primeira República no Brasil e seus múltiplos ângulos por meio de estudo e investigação de fontes históricas diversificadas (contos, livros, charges, músicas, filmes, fotografias, pinturas etc.).

Os trabalhos foram elaborados em grupos e de forma virtual por conta da pandemia de COVID-19, de forma colaborativa, produzido a muitas mãos. Mesmo com as dificuldades enfrentadas por cada um no acesso às tecnologias, os resultados foram surpreendentes. A edição da revista digital ficou sob a responsabilidade da professora, que considerou a que cada estudante possui uma condição diferenciada para participar das AENPE. Segundo a professora Grazyelle, responsável pela atividade, o protagonismo desse trabalho, sem dúvidas, foi de cada estudante que se empenhou nas pesquisas, consultando livros, sites, pessoas para fundamentar sua escrita.


A professora mostrou-se bastante satisfeita com o resultado da atividade. “Fiquei muito satisfeita ao ver que a revista digital ganhou vida. Cada estudante deu um pouco de si, dedicou um tempo para pesquisar e escrever as suas considerações e essa é sempre uma forma de estimular sua autonomia intelectual, seu protagonismo. Mais do que compreender um tempo histórico e as suas nuances específicas, as e os estudantes puderam perceber circunstâncias que transcendem os tempos: as desigualdades e a exclusão social, os jogos políticos, as disputas por poder, os preconceitos, as revoltas, as estratégias de solidariedade coletiva, o extermínio dos que não se adequam à ordem estabelecida ou imposta por grupos hegemônicos, as manipulações, os contrastes entre discursos falados/escritos e a prática, a construção de alternativas para transformar uma realidade extenuante. Só por isso esse trabalho valeu a pena”, conta Grazyelle.

Para acessar o trabalho dos estudantes, basta clicar no link abaixo:

registrado em: