Você está aqui: Página Inicial > Campus Jacobina > Notícias Campus Jacobina > 2020 > Em tempos de distanciamento social, profissionais do campus se destacam na internet
conteúdo

Em tempos de distanciamento social, profissionais do campus se destacam na internet

Lives, webinars e até canal no Youtube são algumas produções
por Verusa Pinho publicado: 03/07/2020 08h58, última modificação: 14/07/2020 07h59

Ela já é considerada a professora mais “blogueirinha”* do Campus Jacobina do IFBA. A geóloga e coordenadora de extensão, Talita Gentil, vem surpreendendo colegas de trabalho e alunos com seu talento para o vídeo.

Desde que as aulas foram suspensas, juntamente com o calendário acadêmico, em meados de março, devido à pandemia* da Covid-19, a docente tem investido na produção de vídeos sobre sua área de conhecimento, respondendo a questionamentos acerca do universo da geologia.

“Tudo começou a partir de uma convocação do diretor de ensino do campus para que os professores indicassem aos alunos materiais das suas respectivas áreas/matérias disponíveis na internet. Quando fui pesquisar, notei que não havia quase nada relacionado à minha matéria específica. Sério, não tinha quase nada!!! Antes mesmo de ocorrer a pandemia, os alunos ficavam me perguntando se eu poderia produzir algum material mais didático esclarecendo dúvidas de alguns termos relacionados à Geologia, pois não conseguiam encontrar na web. Inicialmente a ideia era essa (publicar para os alunos do IFBA), porém está se tornando algo maior”, explica Talita.

Em parceria com Joênio Marques Costa, a professora realiza a gravação e edição dos materiais a partir dos questionamentos feitos por estudantes, egressos e profissionais de outras áreas. “Inicialmente pensei em solicitar perguntas aos alunos pelo meu perfil do Instagram, imaginando que seriam umas 10 (risos). Mas a internet é um mundo que nós não conhecemos! Foram mais de 30 perguntas, daí surgiu a ideia do GeoRespostas. Esse é um quadro que eu pretendo manter: as perguntas são enviadas pelo público (não só alunos do IFBA, mas a comunidade em geral) e eu respondo através do Instagram e YouTube”, esclarece. 

Uma vez na rede, os vídeos repercutiram mais que o esperado. “O retorno foi muito bom! Alunos e outros seguidores sempre relatam nos comentários que estão gostando muito, que os vídeos são didáticos e estão ajudando bastante, que será um ótimo material para pesquisa, entre outros”, pontua Talita.

Para o recém-formado no curso técnico de eletromecânica Jander Lopes, a iniciativa da docente foi uma maneira inovadora, engraçada e descomplicada de elucidar dúvidas quanto à atuação e o conhecimento profissional das ciências da terra. “Sou meio suspeito a falar... Eu amo a parte de minerais e sempre tive um pouco de vergonha para pedir algumas explicações sobre o assunto. Mas quando Talita abriu esse espaço, senti que era o momento de saber o máximo possível de curiosidades. Acho que qualquer pessoa que tenha gosto por geologia pode se permitir a perguntar sobre suas dúvidas para Talita”, comenta. O jovem foi aprovado para engenharia de materiais na Universidade Federal de Sergipe (UFS) - Campus São Cristóvão, porém, devido à pandemia, ainda aguarda o início dos estudos na graduação.

Bastidores

Quanto aos desafios e dificuldades de lidar com essa nova linguagem e ferramenta, Talita revela que não é muito fácil produzir vídeos. “Quem vê o vídeo não sabe o trabalho que tem por trás. No primeiro, eu não tinha muito ideia do que estava fazendo, nunca tinha gravado nada. Só sabia que iria gravar o vídeo e pronto! (risos). Na verdade, é muito difícil gravar, pois você tem que cativar a pessoa que está assistindo, envolvê-la, querendo ou não, você está conversando com uma pessoa através da câmera. Mas nem sempre você está bem para gravar. E fora todo o processo de edição de um vídeo, que leva bastante tempo e criatividade”, destaca.

Empolgada com a tendência que ela mesma criou, a geóloga e professora revela que pretende continuar com a produção audiovisual e que está até estudando para se adequar ao formato. “O que me leva a fazer isso é saber que estou ajudando pessoas a expandir seus conhecimentos, principalmente no mundo das Geociências. Quero contribuir para a construção de uma educação de qualidade e acessível a todos. Conhecimento adquirido é poder e liberdade; através dele, temos a capacidade de questionar escolhas, pensamentos e conceitos, avaliando o que realmente faz sentido para nós!”, conclui.

Desde maio, já foram gravados mais de dez vídeos, tratando de temas diversos, como a polêmica da terminologia “rocha ou pedra”; formação de estalactites e estalagmites; a importância da mineralogia na sociedade; série profissões “geologia x engenharia de minas”,  e o especial Dia do Geólogo, composto por seis vídeos datados de 30 de maio, com a participação de geocientistas convidados, entre eles a ex-professora do Campus Jacobina Naédja Pontes, atualmente docente do Instituto Federal do Piauí (IFPI).

E vem novidade por aí! Talita já pensa em dois novos quadros que serão publicados apenas no Youtube, nos quais haverá definições, curiosidades e termos técnicos relacionados a rochas e minerais. Ficou curioso/a? Que tal “viajar” pelo mundo da Geologia, aproveitando o distanciamento social* para aprofundar saberes? No Canal no Youtube e Instagram (@talitagentill) da docente tem diversas dicas. Só conferir!

Saúde e bem-estar em foco

Já o professor de educação física Normando Lima investiu nas lives* para aproximar, ainda que virtualmente, a comunidade institucional durante este período de distanciamento social, isolamento e quarentena*. A primeira foi realizada em abril, numa parceria com a psicóloga e professora do campus Rosângela Castro, acerca da relação entre sono e isolamento social; a segunda focou nas técnicas de relaxamento e atividades físicas em tempos de pandemia, ocorrida em maio; neste mesmo mês, o docente convidou o pesquisador da Fiocruz Leonardo Braga para tratar do tempo de vida do coronavírus nos mais diferentes ambientes. A live fez tanto sucesso entre o público participante devido à riqueza de conteúdos abordados que o professor convidou Leonardo para debater, um mês depois (em junho), questões relacionadas à visão celular (micro) e sistêmica (macro), área em que o pesquisador é especialista, no contexto da melhora de rendimento aeróbico e atividade física.

Multi-Inter-Transdisciplinaridade

E não faltam convites para nossos profissionais! O técnico em assuntos educacionais Daniel Neves, e a intérprete de Libras Agda Medrado participam, constantemente, de lives sobre Libras e inclusão em parceria com outras instituições formativas e grupos de pesquisa de Jacobina e região.

Em abril, o docente de física Beliato Campos gravou vídeo-aula, contendo parte teórica e demonstração, abordando conceitos da ótica através do exemplo da associação de espelhos. Também compôs webinar*, em parceria com o Instituto Federal de Alagoas (IFAL) e instituições da educação básica, sobre o ensino da disciplina, desafios, projetos e conquistas, com base em sua própria trajetória profissional.

O professor e coordenador da licenciatura em computação, Yuri Wanderlei, foi convidado, em maio, para compor live do Instituto Anísio Teixeira (IAT) acerca das tecnologias no universo da educação. Atualmente participa de ciclo de palestras do Campus Camaçari sobre o futuro da área da computação, tendo em vista o momento da pós-pandemia.

Ah, teve ainda produção de cartilha virtual sobre a redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), iniciativa da docente de língua portuguesa Lucília Santa Rosa. O material se assemelha a um jogo, no qual o objetivo é cumprir com sucesso as cinco competências exigidas pelo Exame, completando as seis fases do desafio intitulado "Trilha do Conhecimento".

#FicaaDica

Conteúdo “na rede” é o que não falta para manter a rotina de estudos minimamente razoável, enquanto ficamos em casa e nos acostumamos ao “novo normal”. Neste link, organizado por nossos professores, você encontra outras indicações das mais diferentes áreas. No perfil do Instagram do 2º Festival de Arte e Tecnologia do campus (@fat_ifba_jacobina), estão disponíveis vários vídeos com interpretações da música popular brasileira feitas por estudantes, bem como lives com profissionais convidados e mediação do docente André Lima, abordando a arte contemporânea e o processo criativo em tempos de fascismo e pandemia.

Providos de conhecimento, certamente este momento crítico vai passando de maneira mais tranquila, criativa e consciente, e melhor, deixando um legado para a vida pós-pandemia.

#FicaemCasa #OIFBAEstáComVocê #EmBreveaGenteSeVê

*Mais informações no Glossário abaixo:  

Distanciamento social: O distanciamento social busca, de forma voluntária, restringir a aproximação entre as pessoas como forma de controlar a disseminação da doença. No caso da Covid-19, por exemplo, as autoridades de saúde recomendam manter uma distância de 2 metros de outras pessoas. Nessa fase, comércios e as escolas podem fechar e eventos serem cancelados, mas não há aplicação de multa ou detenções para quem furar o distanciamento social. 

Isolamento social: O isolamento serve para separar pessoas sintomáticas ou assintomáticas, que foram contaminadas ou estão com suspeita. Dependendo da situação, os pacientes podem ficar isolados em ambiente domiciliar ou em hospitais, evitando a propagação do vírus. O Ministério da Saúde indica que prazo de isolamento é 14 dias (tempo em que o vírus leva para se manifestar no corpo). O prazo pode ser estendido, dependendo do resultado dos exames laboratoriais. 

Quarentena: A quarentena restringe o acesso ou circulação de pessoas que foram ou podem ter sido expostas ao vírus. Pode ser um ato administrativo, estabelecido pelas secretarias de Saúde dos estados e municípios ou do ministro da Saúde, por exemplo. A palavra foi criada em meados do século 14, em Veneza, na Itália, durante o período da peste bubônica. Para evitar que marinheiros trouxessem a doença para a cidade, autoridades fizeram com que toda a tripulação dos navios ficasse confinada por 40 dias antes de desembarcar. Atualmente, o termo não mudou, mas é possível que o período seja maior ou menor. 

Lock Down: O lockdown é uma paralisação total dos fluxos e deslocamentos. A circulação de carros e pessoas também é reduzida, sendo autorizada apenas a saída de casa para a compra de alimentos, medicamentos e transporte de indivíduos para hospitais. Nesta etapa, o governo pode usar as forças armadas e aplicar multas e detenções para quem desrespeitar a medida. Em resumo, pensando na escala de risco para serem adotados, do menor para o maior, os regimes são classificados nesta ordem: distanciamento social, isolamento, quarentena e lockdown. 

Pandemia: Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), uma pandemia é a disseminação mundial de uma nova doença. O termo indica que a enfermidade se espalhou por diferentes continentes com transmissão sustentada de pessoa para pessoa. 

Live: Evento público e gratuito, acessível para qualquer pessoa em plataformas como YouTube, Facebook ou Instagram. Prioriza o entretenimento, mas tem caído nas graças dos profissionais da educação também, incluindo debates específicos.

Webinar ou Webinário: Espécie de palestra via web (de caráter mais educativo) que demanda interação entre apresentador/es e público por meio de acesso restrito.

Blogueiro/a: O termo é descrito nos dicionários como: "aquele que escreve em blogs", "usuário de blog", "sujeito que cria, possui autoria ou escreve em algum blog". Entretanto, a definição pode incluir profissionais que publicam informações regularmente sobre determinado tema, em diferentes plataformas, como as redes sociais, o que se aproxima do "digital influencer", pessoa que produz conteúdos para esses canais, compartilhando seu estilo de vida com um número considerável de seguidores, por meio da interação e engajamento com seus vídeos e postagens.

Fonte (Glossário): https://guiadoestudante.abril.com.br/estudo/qual-a-diferenca-entre-distanciamento-isolamento-quarentena-e-lockdown/ https://guiadoestudante.abril.com.br/estudo/o-que-e-pandemia-definicao-historico-e-gravidade/