Você está aqui: Página Inicial > Campus Ilhéus > Comunicados e Notícias > Atividade Interdisciplinar do Curso de Segurança do Trabalho acontece dia 15
conteúdo

Atividade Interdisciplinar do Curso de Segurança do Trabalho acontece dia 15

por CAMPUS ILHEUS publicado 09/06/2021 10h07, última modificação 10/06/2021 08h51

ATIVIDADE INTERDISCIPLINAR HUMANAS

 

Tema: O BRASIL NOS TEMPOS DA PANDEMIA: TRABALHO, CORPOS E ADOECIMENTO

Curso: Segurança do Trabalho

Data: 15/06/2021

PROGRAMAÇÃO

 

★      Roda de conversa com convidados (08:00-10:00) - Canal do YouTube

  1. Rodrigo: tem graduação em Filosofia pela Universidade Estadual de Montes Claros (2006), mestrado em filosofia pela Universidade Federal de São Carlos (2009) e doutorado em filosofia pela Universidade Federal de São Paulo (2019). Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase nas seguintes áreas: história da filosofia contemporânea, Ontologia Fundamental e Fenomenologia. Atualmente é professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia, Campus Ilhéus.
  2. Jálvaro Santana da Hora: Mestre em Engenharia Civil e Ambiental (PPGECEA) pela Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), Pós - Graduado em Engenharia de Segurança do Trabalho pela Faculdade de Tecnologia e Ciência (FTC), Bacharel em Engenharia Ambiental pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB). Tem experiência profissional nas áreas de meio ambiente e segurança do trabalho. É Engenheiro Ambiental no Grupo DASS em suas unidades da Bahia, responsável pela área ambiental das unidades de Vitória da Conquista, Santo Estevão e Itaberaba (2011); engenheiro de Segurança do Trabalho da Calçados Ramarim Nordeste e Confort Flex na cidade de Jequié - BA (2012); além de analista ambiental do Instituto Brasília Ambiental - IBRAM (2012); analista de Desenvolvimento Regional na CODEVASF (2013); e analista Ambiental da EMBASA(2014). Atualmente é professor EBTT DE do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia - IFBA e coordenador geral do Centro Tecnológico de Referência CIMA Mata Atlântica.

 

 ★      Minicursos (10:15-12:00) - Microsoft Teams

 

  1. Ataraxia, Eudaimonia e problemas psicológicos (30 vagas) 

Inscrição: https://forms.gle/5CrqzRhs59NdVRwC7

 Mediação: Amanda Santos Da Silva; Adenir Araujo De Souza; Herbet Gomes Fernandes Da Silva 

Descrição: O minicurso tem por objetivo apresentar e refletir sobre os conceitos de Eudaimonia e Ataraxia dentro da filosofia de Epicuro. O contexto atual onde a pandemia do COVID-19 trouxe a necessidade de lidar com as medidas restritivas (lockdown), isolamento social e com a perda de parentes ou pessoas próximas, ocasionou como consequência o aumento de casos de pessoas com problemas psicológicos em todo o mundo. No Brasil, esta realidade é ainda mais negativa devido aos fatores políticos, pois o país tem lidado de maneira negligente diante da situação da pandemia, tendo, por exemplo, dificuldades em aplicar ações preventivas, auxiliar a sociedade mais necessitada e, o pior, tendo que lidar com atitudes, no mínimo, questionáveis por partes dos governantes e tudo isto se mistura causando mais dor e angustia as pessoas. A apresentação se dará através da explicação expositiva analisando o contexto atual e buscando explicar os conceitos filosóficos com a finalidade de propor uma reflexão sobre a realidade que nos cerca. Considerando que o fim do ser humano é buscar a felicidade, usaremos ideias do epicurismo com vistas a construir uma reflexão e a resgatar esse sentimento nesse cenário atual, pandêmico. Os pontos a serem explorado serão sobre o bem-viver, em especial tratando dos temas: a vida feliz, a superação da dor, a amizade e o medo da morte.

 

  1. A arte de bem viver em contexto de pandemia (30 vagas) 

Inscrição: https://forms.gle/bChBPSLQMCJdkAAo8

 Mediação:  Rosana Margarete Figueiredo e Felipe Costa De Oliveira 

Descrição: A vida é cheia de desafios e no atual momento o mundo passa por uma pandemia que afeta diversos setores em nossa vida: a educação, economia e o principal, a nossa saúde corporal e mental. Diante desse contexto de calamidade de saúde pública acontece também diversas mudanças na vida humana: desemprego, perdas, fome, crises e ansiedades. Dessa forma, a busca por uma vida saudável e sem perturbações se torna o alvo principal dentro de uma sociedade afetada por mudanças não tão positivas. A partir disso, nós convidamos você a observar, refletir e questionar outros aspectos que ainda precisam ser mais debatidos com discernimento e sabedoria. Vamos lhe proporcionar um panorama do nosso momento atual numa perspectiva da Filosofia Prática, tendo como referência o Estoicismo, uma corrente filosófica que surgir no século IV a.C, num período de crise moral na sociedade antiga. Os princípios dessa corrente filosófica ainda são necessários, pois trata da natureza humana, a racionalidade, escolhas, expectativas, medo e  a busca da felicidade. Para os filósofos dessa corrente, o Universo é regido por uma lei, tudo que acontece tem origem na lei, para compreendê-la precisamos viver segundo a natureza. Qual é a nossa natureza?

 

  1. Existencialismo e a pandemia Global (30 vagas) 

Inscrição: https://forms.gle/6UWqhmnKRVC49qES7

 Mediação: Uallace De Farias Rocha; Marilia Gabriella; Emidio Dos Santos e Pedro Henrique Santos Souza

 Descrição: Em meio às diferentes vertentes que o pensamento filosófico proporciona, a filosofia da existência se destaca por abordar a essência em si mesma como problema. Por questionamento considerável se tem por necessário que o indivíduo tem de se envolver de tal maneira a si mesmo como a realidade que o submerge. Torna-se necessário a tomada pelo existencialismo como a única forma de autenticidade de oferecer sentido à existência individual e à inclusão desta existência individual na experiência comum, onde é apreendida o comparecimento de todos os outros seres. A filosofia existencial distingue-se, especialmente, por centrar no indivíduo a responsabilidade de sua concretização. De tal modo, não admite conceitos como essência humana, absoluta e de uma universalidade, cujos subsidiados implicam uma preferência à existência individual, como instituidores de suas cláusulas fundamentais de procura à conclusão de seus problemas. No projeto do Residência Pedagógica, procura demonstrar os movimentos ontológicos que o sujeito  necessita atingir para ter uma espécie de equilíbrio mental dentro do cenário de pandemia global, garantindo sua categoria de origem de liberdade e que esta liberdade existencial, refletida por Simone de Beauvoir, descansa quando em si traz dois sentidos da opção que ele pode atingir entre a destituição e a elevação da original condicionamento humano de existir em um contexto onde a humanidade foi posta em quarentena constante e isolamento social, esse ser se encontra aprisionado socialmente em prol de si e do outro. A liberdade é uma reflexão vivida em subjetividade e, em momentos, se mostra abarcada por uma “aparência” da adequada responsabilidade da pessoa, que é aquela que advém da competência de compor de um ser livre e soberano.

 

  1. Interações sociais e tecnologias em tempos de pandemia: o que as ciências sociais nos ensinam? (30 vagas) 

Inscrição: https://forms.gle/skDiCVg1mvs5zbFS6

Mediação: Ananda Monteiro Lima; Liandra Rodrigues Santos Gomes; Patricia Helena Oliveira Behrmann; Rafael Alves de Novais e Yasmine Gonçalves dos Santos Conceição

 Descrição: O presente minicurso terá como objetivo a reflexão e o debate sobre as interações sociais no contexto da pandemia, a partir do uso de mídias sociais, aplicativos e plataformas digitais. A utilização de tais aparatos tecnológicos em nossa sociedade é constante, mas com a necessidade de isolamento social devido a pandemia da Covid-19 e a restrição da possibilidade de interações sociais face a face, de sociabilidade, trocas e encontros presenciais e físicos, impulsionaram ainda mais as interações através dessas novas tecnologias, reconfigurando e redirecionando as relações sociais em diversas esferas, no comércio digital, no trabalho, nos estudos e até mesmo os nossos relacionamentos familiares e sociais, que agora passaram a se desenvolver através de uma tela. Com as regras de distanciamento social em decorrência da Pandemia da covid-19 ficamos ainda mais presos às redes sociais e as mídias de comunicação, onde as tensões sociais passaram a ocupar nossas telas de forma mais intensa. Sendo assim, como podemos promover a comunicação e interação nas redes sociais de modo a saber nossos limites em meio a sua utilização? Diante disso, se faz necessário  discutir o conceito das interações sociais e quais os impactos do uso das redes sociais, na nossa saúde mental, na nossa autoestima, e nas discussões das causas sociais que ganharam os espaços digitais, refletindo sobre uma narrativa sobre nós mesmos. Iremos juntos, analisar e debater o comportamento social através da exposição ou análise de como o indivíduo manifesta suas emoções no ambiente público ou privado.

  

  1. Movimentos sociais e a comunicação enquanto arma de combate à opressão de gênero, de classe e raça em tempos de Covid-19 (30 vagas) 

Inscrição: https://forms.gle/GdtgnZahZsMECEqD9 

Mediação: Gabriela Schiavon, Iury Gomes, Vinicius Souza

Descrição: A presente oficina tem como título “Os movimentos sociais e a comunicação enquanto arma de combate à opressão de gênero, de classe e raça em tempos de Covid-19”. Esta oficina tem o intuito de problematizar os efeitos da pandemia de Covid-19 no contexto social das populações histórica e sociopoliticamente oprimidas, como exemplos, a comunidade LGBTQIA+, as mulheres, negros e negras. Assim, pretende-se despertar nos estudantes o interesse pelas pautas e os problemas enfrentados pelos movimentos sociais dessas áreas temáticas e, com isso, proporcionar também conhecimentos teóricos e práticos que possam ser aplicados para evidenciar e compartilhar esses problemas discutidos através de redes sociais, bem como em seu cotidiano social.

 

  1. Cuidar de si e dos outros como condição existencial em tempos de pandemia (30 vagas)

Inscrição: https://forms.gle/DwA5uohvcX5dDBJt7

 Mediação: Cleiton dos Santos Lavrador, Edson Carlos de Oliveira Junior, Noel Vieira da Silva Neto

 Descrição: O contexto da pandemia tem colocado desafios a cada pessoa no que tange a proteção à vida e à saúde. Entretanto, o agravamento da pandemia e sua forma de disseminação vem mostrando que estamos lidando com uma situação que necessariamente é coletiva. Cada pessoa é potencialmente transmissora do vírus, portanto pode constituir-se ameaça a si e a comunidade. Por outro lado, cada vez que uma pessoa se protege consegue proteger as pessoas do seu entorno. Além disso, a crise sanitária e econômica tem colocado outras ameaças coletivas para comunidades frente às situações de fome, desemprego e de violência. Diante dessa problemática, o grupo do PIBID de Filosofia traz uma reflexão acerca de uma ética do cuidado como ação necessária e relacional. Cuidar de si implica diretamente cuidar do outro, estar em relação com o outro e com a comunidade, uma atitude de aprender e ensinar em reciprocidade e coexistência.  Para o debate desse conceito, propomos um diálogo entre perspectivas filosóficas distintas que, apesar de apontarem caminhos específicos, estabelecem como princípio a relação de auto-co-construção para uma ética do cuidado e de produção de valores humanos em prol de uma comunidade que possa compartilhar a existência.