Você está aqui: Página Inicial > Campus Eunápolis > Notícias > Notícias Eunápolis 2019 > Pesquisas de docente do IFBA são publicadas em revistas científicas
conteúdo

Pesquisas de docente do IFBA são publicadas em revistas científicas

Notas e comunicados no período eleitoral Eunápolis

publicado: 20/12/2019 11h10, última modificação: 20/12/2019 12h31

IMG_1180.JPG
Professor Eliseu Miranda durante a pesquisa

 

Dois artigos do professor Doutor Eliseu Miranda de Assis, da área de saúde do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia-Eunápolis foram publicados em revistas de renome nacional e internacional. O estudo “Population-based Study of 24 Autoimmune Diseases Carried Out in a Brazilian Microregion”, foi publicado no “Journal of Epidemiology and Global Health” (DOI-DOI: https://doi.org/10.2991/jegh.k.190920.001) e o outro estudo “High concentrations of toxic metals in water consumed by the Maxakali indigenous community in Brazil”(Doi:10.4136/ambi-agua.2215) na revista Ambiente e Água, Ambiente & Água - An Interdisciplinary Journal of Applied Science ISSN 1980-993X, referência no Brasil para publicações voltadas para a qualidade da água. O artigo sobre metais pesados trata de parte dos resultados da sua pesquisa no doutorado. Já o outro estudo, trata-se de sua atuação como coo-orientador de um aluno mestrando na Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri.

Professor Eliseu Miranda durante a pesquisaEm relação ao estudo sobre metais tóxicos na água consumida pela comunidade indígena Maxakali, o pesquisador ressalta alguns pontos dos trabalhos “ Isso tudo começou a partir dos resultados obtidos na sua pesquisa de mestrado, onde identificamos a segunda maior prevalência de parasitos intestinais em comunidades indígenas no Brasil. Como tentativa de resposta a esse resultado foi proposto o estudo para avaliar a qualidade da água e o seu impacto na qualidade de vida desses grupos. Com os resultados encontrados, explica o pesquisador, é possível correlacionar a prevalência das enteroparasitoses identificadas e sua relação com a qualidade da água consumida. Preocupa o fato da água para o consumo neste grupo ser ofertada In natura, o que minimizariam os impactos na saúde se houvesse tratamento anterior a oferta. Questões históricas e culturais, ausência de infraestrutura nas aldeias para o tratamento da água, são fatores que permite o consumo por este grupo de uma água com baixa qualidade. O outro estudo sobre doenças autoimunes, trata de mostrar a prevalência de doenças autoimunes em relação à média nacional”, sendo para algumas, quase o dobro do encontrado em algumas regiões do Brasil.

Para o professor Eliseu esses trabalhos têm cunho social “O que a gente espera é que a partir dessas publicações, as

IMG_0880.JPG
Professor Eliseu Miranda durante a pesquisa
autoridades competentes, responsáveis pelas políticas públicas nestas localidades tomem providencias com relação aos indicadores apresentados. Estas publicações representam uma resposta à comunidade a respeito do conhecimento produzido dentro das instituições de ensino “A pesquisa se ela não tiver impacto social ela não tem sentido. Eu enquanto pesquisador, o que busco é realmente fazer valer e retornar para a sociedade aquilo que eu aprendi. Minhas pesquisas têm o caráter de identificar os impactos na saúde dos grupos mais vulneráveis as ausências de políticas públicas que colocam essa população em risco para o adoecimento. Auxiliar essas comunidades no enfrentamento de situações de crise do ponto de vista da saúde é o mais importante que considero nestes trabalhos”, finalizou.

 

Para conhecer os artigos completos:


Population-based Study of 24 Autoimmune Diseases Carried Out in a Brazilian Microregion


Concentrações elevadas de metais tóxicos na água consumida pela comunidade indígena Maxakali no Brasil