Você está aqui: Página Inicial > Acesso a informação > Campanha de Enfrentamento ao Assédio
conteúdo

Assédio sexual: é fundamental romper o silêncio sobre o tema. Essa prática criminosa que, até então, ecoa normalizada, deve estar presente nas conversas cotidianas, com perfis de pessoas diversos e em diferentes contextos sociais. Especialmente no ambiente de ensino, deve-se dialogar sobre medidas preventivas e de enfrentamento para evitar e coibir os abusos. 

Ao tempo em que há o reconhecimento da realidade que acomete o IFBA, destaca-se que existem instrumentos institucionais para enfrentamento ao assédio sexual, de modo a oferecer amparo às vítimas e para conduzir a apuração dos fatos a partir do cumprimento dos ritos legais.

Pretende-se, assim, reunir aqui nessa página virtual os conteúdos elaborados na campanha de comunicação institucional, dados sobre o tema, formas de identificar ações e comportamentos suspeitos, meios de buscar ajuda, bem como, à medida que forem acontecendo, apresentar os avanços realizados no IFBA para prevenção e enfrentamento ao assédio sexual.

Ao difundir informações e orientações, a campanha de comunicação visa contribuir para a compreensão ampla de questões relativas ao tema, bem como para subsidiar a comunidade para a ação coletiva indispensável ao fortalecimento da prevenção e o enfrentamento do assédio sexual.

Laís Andrade
Diretora de Gestão da Comunicação Institucional  

 JUNTAS(OS) NA PREVENÇÃO E ENFRENTAMENTO AO ASSÉDIO

"Estamos atentas e atentos aos questionamentos e reivindicações da comunidade, estamos prestando todos os esclarecimentos por diversos canais – e a campanha de comunicação será um deles. Somos uma instituição de ensino, que tem a missão e o compromisso de formar cidadãs e cidadãos éticos, críticos e socialmente responsáveis. Nosso dever institucional e social é o de agir para assegurar aos nossos estudantes e servidores um ambiente ético, saudável, respeitoso e acolhedor". Luzia Mota, reitora do IFBA. (Foto: Lorena Vinturini)


















"O assédio sexual enquadra-se como falta grave, e a conduta configura afronta aos deveres funcionais previstos na Lei nº 8.112, entre eles a moralidade administrativa, configurando hipótese de improbidade administrativa, passível, portanto, de demissão". Diana Guimarães Azin, procuradora do IFCE e coordenadora do do Grupo de Trabalho de Prevenção e Combate ao Assédio Sexual nas IFES, da Procuradoria-Geral Federal (PGF). 


"Vamos intensificar uma abordagem pedagógica sobre o assunto de forma transversal às atividades acadêmicas e já na aula inaugural do IFBA e de cada um dos 22 campi serão abordadas questões sobre assédio sexual, prevenção e formas de enfrentamento. Mais do que um compromisso de Gestão, prevenir e combater qualquer tipo de violência é um dever intrínseco à missão de uma instituição de Ensino. Vamos honrar nosso compromisso e cumprir o nosso dever com o apoio da comunidade do IFBA". Jancarlos Lapa, pró-reitor de Ensino do IFBA. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


O pró-reitor de Ensino do IFBA, Jancarlos Lapa