O Campus

por Simone Lopes publicado 07/03/2017 10h52, última modificação 21/07/2017 15h57
Breve histórico do IFBA - Santo Antônio de Jesus

campus de Santo Antônio de Jesus é um dos mais recentes resultados da política de expansão do IFBA vivida nos últimos anos. Suas obras foram iniciadas em 2013 e finalizadas em 2015. A partir de 2016, iniciou suas atividades acadêmicas oferecendo cursos de Formação Inicial e Continuada, além dos cursos do Programa Profuncionário. A oferta de cursos do Ensino Superior está prevista para o segundo semestre letivo de 2017. 

Sua função é a de promover ciência, educação e tecnologia referenciadas, observando os princípios que regem a missão do Instituto. Dentro dessa perspectiva, o município de Santo Antônio de Jesus reúne características favoráveis à implantação de umcampus do IFBA.

Situada no extremo sul da região do Recôncavo da Bahia, a cidade de Santo Antônio de Jesus possui um intenso dinamismo urbano, sendo um dos principais polarizadores dos municípios do Recôncavo Sul da Bahia, Vale do Jiquiriçá e Baixo Sul da Bahia. É um centro regional que dispõe de diversos aparatos técnicos que atraem os habitantes das cidades vizinhas.

O município de Santo Antônio de Jesus está situado à margem da BR 101, a 187 km de Salvador (por via terrestre), com extensão territorial de 252 km2 e, de acordo com a estimativa realizada pelo IBGE em 2014, possui uma população estimada em 100.550 habitantes e um PIB per capta, estimado em 2012, em R$ 12.313,81.

Em termos econômicos, Santo Antônio de Jesus tem uma agricultura baseada na produção de amendoim, limão e laranja. Na pecuária, o município conta com criadores de bovinos e muares. Sua rede hoteleira conta com 741 leitos. Segundo dados da SEI/IBGE, o PIB do município para 2012 foi de 980,34 bilhões e a estrutura setorial está distribuída da seguinte forma: 1,49% para agropecuária, 17,02% para indústria e 81,49% para serviços e comércio.

Segundo diagnóstico do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), o número de trabalhadores formais no comércio era de 7.592 em 2012. E, apenas 1,2% dos trabalhadores possuem ensino superior. Ao mesmo tempo em que há um crescimento de comerciários com Ensino Médio completo, identifica-se uma demanda reprimida por cursos de ensino superior nesta categoria de trabalhadores. Esse fato pode ser creditado a pouca oferta de cursos de ensino superior que respeitem o horário de trabalho e à baixa remuneração salarial. O levantamento aponta que 97,3% da categoria têm uma carga horária semanal de 44h e 87,9% recebem, mensalmente, até 02 salários mínimos.

Desta forma, os cursos Superiores de Tecnologia, ofertados no turno noturno, visa atender a demanda por educação tecnológica pública, gratuita e de qualidade no município, mas visando, também, aumentar as possibilidades de acesso a toda a comunidade.

Assim, a opção por cursos superiores de tecnologia, preferencialmente no turno da noite, vem como resposta do campus às questões verificadas nos diagnósticos e nas audiências públicas realizadas no município.

“Tornar­-se cada vez mais uma instituição de referência em Educação no País, aumentando sempre a oferta de vagas e cursos, de acordo com a realidade local e modernizando as estruturas físicas e administrativas, bem como ampliando a sua atuação na extensão, pesquisa e inovação tecnológica."

Isso porque o IFBA possui na sua essência a função social de formar cidadãos em todos os níveis e modalidades de ensino que oferta, fundamentado nos valores humanos da igualdade, solidariedade, ética, competência, atuação solidária no mundo do trabalho e gestão do seu conhecimento, sobretudo nas áreas da sua atuação profissional. 

Finalidades:

  1. Ofertar educação profissional e tecnológica, em todos os seus níveis e modalidades, formando e qualificando cidadãos com vistas na atuação profissional nos diversos setores da economia, com ênfase no desenvolvimento socioeconômico local, regional e nacional;
  2. Desenvolver a educação profissional e tecnológica como processo educativo e investigativo de geração e adaptação de soluções técnicas e tecnológicas às demandas sociais e peculiaridades regionais;
  3. Promover a integração e a verticalização da educação básica à educação profissional e educação superior, otimizando a infraestrutura física, os quadros de pessoal e os recursos de gestão;
  4. Orientar sua oferta formativa em benefício da consolidação e fortalecimento dos arranjos produtivos, sociais e culturais locais, identificados com base no mapeamento das potencialidades de desenvolvimento socioeconômico e cultural no âmbito de atuação do Instituto Federal;
  5. Constituir­-se em centro de excelência na oferta do ensino de ciências, em geral, e de ciências aplicadas, em particular, estimulando o desenvolvimento de espírito crítico, voltado à investigação empírica;
  6. Qualificar­-se como centro de referência no apoio à oferta do ensino de ciências nas instituições públicas de ensino, oferecendo capacitação técnica e atualização pedagógica aos docentes das redes públicas de ensino;
  7. Desenvolver programas de extensão e de divulgação científica e tecnológica;
  8. Realizar e estimular a pesquisa aplicada, a produção cultural, o empreendedorismo, o cooperativismo e o desenvolvimento científico e tecnológico;
  9. Promover a produção, o desenvolvimento e a transferência de tecnologias sociais, notadamente as voltadas à preservação do meio ambiente (BRASIL,2008).

Objetivos:

  1. Ministrar educação profissional técnica de nível médio, prioritariamente na forma de cursos integrados, para os concluintes do ensino fundamental e para o público da educação de jovens e adultos;
  2. Ministrar cursos de formação inicial e continuada de trabalhadores, objetivando a capacitação, o aperfeiçoamento, a especialização e a atualização de profissionais, em todos os níveis de escolaridade, nas áreas da educação profissional e tecnológica;
  3. Realizar pesquisas aplicadas, estimulando o desenvolvimento de soluções técnicas e tecnológicas, estendendo seus benefícios à comunidade;
  4. Desenvolver atividades de extensão de acordo com os princípios e finalidades da educação profissional e tecnológica, em articulação com o mundo do trabalho e os segmentos sociais, e com ênfase na produção, desenvolvimento e difusão de conhecimentos científicos e tecnológicos;
  5. Estimular e apoiar processos educativos que levem à geração de trabalho e renda e à emancipação do cidadão na perspectiva do desenvolvimento socioeconômico local e regional;
  6. Ministrar em nível de educação superior: cursos superiores de tecnologia; cursos de licenciatura; cursos de bacharelado e engenharia; cursos de pós- graduação lato sensu de aperfeiçoamento e especialização; cursos de pós-graduação stricto sensu de mestrado e doutorado.