Você está aqui: Página Inicial > Instituto Federal > Notícias 2016 > Especialização em Estudos Étnicos e Raciais tem aula inaugural

Especialização em Estudos Étnicos e Raciais tem aula inaugural

publicado: 19/09/2016 16h29 última modificação: 19/09/2016 16h30

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA) promoveu na última sexta-feira, 16, a aula inaugural da Especialização em Estudos Étnicos e Raciais, no Espaço Cultural 2 de Julho, na reitoria. Com conferência do professor Cláudio Alves Furtado - membro do comitê executivo do Conselho para o Desenvolvimento da Pesquisa em Ciências Sociais em África (CODESRIA – UFBA), a aula contou com a presença do pró-reitor de Pesquisa, Pós Graduação e Inovação, Luís Gustavo Duarte, do diretor do campus Salvador, Albertino Nascimento, do diretor de Pesquisa do campus, Allan Freitas, e do coordenador da especialização, Wesley Correia.

Para o palestrante da noite, que apresentou os desafios e potencialidades dos estudos étnicos e raciais, a nítida transversalidade do curso é ponto de destaque para os estudiosos da área. “A temática do curso é extremamente relevante não só pelos objetivos, mas pela abordagem que se pretende dar - já que é interdisciplinar. Outro ponto é que o curso pode abrir linhas agregando conhecimentos novos. Além disso, se inscreve no momento em que as instituições estão abrindo espaço de atuação, pois devem cumprir o que diz a lei”, pontuou Cláudio Furtado.

A expectativa de um curso com visão e atuação ampla também é compartilhada pelos novos alunos. Para a estudante Caroline Pereira Lima, que iniciou seu percurso na área após fazer um curso sobre literatura negra na Uneb, o curso pode contribuir para abordagens não hegemônicas nos espaços de atuação dos profissionais. “Hoje consigo ver espaço para autores negros, por exemplo, pois tive acesso ao que não é hegemônico. Procuro aprofundar meus estudos e o curso é uma oportunidade para abrir ainda mais esse campo”, explicou a professora de inglês.

Segundo o coordenador do curso, prof. Wesley Correia, a equipe está empenhada em consolidar e fortalecer a especialização. “Temos um compromisso com a produção do conhecimento para o lato sensu avançar e estamos trabalhando na agenda do nosso novo desafio. Temos ouvido a comunidade, os movimentos sociais e a academia, eles nos mostram as possíveis frentes para futuramente termos também um mestrado”, apontou o professor.

A especialização, que está na segunda turma, tem 40 alunos. As aulas acontecerão no campus Salvador.

registrado em: