Você está aqui: Página Inicial > Instituto Federal > Notícias 2017 > IFBA e Secretaria de Educação iniciam curso de LIBRAS em Caldeirão Grande

IFBA e Secretaria de Educação iniciam curso de LIBRAS em Caldeirão Grande

publicado: 15/08/2017 10h08, última modificação: 15/08/2017 10h08

Libras.jpg
Aula inaugural do curso de extensão de LIBRAS

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA), campus Jacobina, e a Secretaria de Educação de Caldeirão Grande firmaram parceria para ofertar um curso de extensão de Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) para servidores que atuam no sistema educacional do município. A aula inaugural aconteceu na tarde da última sexta-feira (11).

A iniciativa contou com a presença da chefe de gabinete, Silvana Márcia, que representou o prefeito Candido da Guirra Filho, do secretário de educação, João Matos, do diretor do campus, Epaminondas Macedo e dos técnicos administrativos do IFBA, Agda Cortes, Eliene Sales e Daniel dos Santos Neto.

O secretário João Matos explicou que, ao buscar a parceria com o IFBA, sua preocupação foi com a formação dos professores, que são graduados e licenciados em suas respectivas áreas, mas não em educação inclusiva.

Matos informou que, após um mapeamento realizado pelo órgão, foram detectados 12 alunos surdos matriculados na rede municipal. “Com o curso, estaremos incluindo e dando condições para que esses alunos tenham acesso à educação. Ele também trará um impacto positivo na formação dos professores e no tratamento pedagógico que esses alunos vão receber”, explicou o secretário.

O diretor Epaminondas acredita que o compromisso educacional do IFBA não é somente com os estudantes dos cursos regulares, mas também com toda a sociedade. “Esse não é o primeiro projeto que nos faz sair dos muros da escola e da própria cidade de Jacobina para também ofertar educação para o público em geral. No passado, já estivemos em Caldeirão Grande com os programas Mulheres Mil e o Pronatec. É muito gratificante para o IFBA participar dessa iniciativa”, pontuou Epaminondas.

Durante a aula, Daniel e Eliene, que também são mestrandos em educação e diversidade pela Universidade do Estado da Bahia, falaram respectivamente sobre os temas “Educação de surdos e inclusão” e “Formação docente e a diversidade”.

Integrante da turma de 40 inscritos, o professor de geografia, Júlio César Vitorino, comentou que até teve libras como componente curricular na licenciatura, mas foi um estudo rápido. Ele relatou que já trabalhou com um aluno surdo em sala e que a comunicação feita por escrito, não era fácil. “Nem sempre eu conseguia compreendê-lo. Isso despertou em mim a vontade de estudar mais LIBRAS”, afirmou Júlio.

O curso, que acontecerá às sextas-feiras e terá 40 horas de duração, foi estruturado pela tradutora e intérprete de LIBRAS do campus, Agda Cortes, que durante a aula inaugural falou sobre o papel do intérprete da língua na educação. Ela acredita que o curso “é o primeiro passo para quebrar as barreiras da comunicação com os surdos” e que todos sairão capazes de manter um diálogo básico na língua de sinais.

 

Comunicação - Campus Jacobina 

registrado em: