Você está aqui: Página Inicial > Instituto Federal > Notícias - 2015 > Relatório Anual de Contas é tema de reunião entre o IFBA e a CGU

Relatório Anual de Contas é tema de reunião entre o IFBA e a CGU

publicado: 31/08/2015 17h48 última modificação: 18/01/2016 17h28

Na manhã de hoje (31), representantes do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA), entre eles, o reitor Renato da Anunciação; pró-reitores de ensino, extensão, desenvolvimento institucional e administração; diretores gerais dos campi; diretores e coordenadores das áreas de tecnologia, administração, infraestrutura; e auditores internos reuniram-se com representantes da Controladoria Geral da União (CGU). 

Na oportunidade, foi apresentado o Relatório de Auditoria Anual de Contas referente ao ano de 2014. O documento traz uma análise geral da CGU sobre itens que englobam toda a estrutura do IFBA, como pesquisa, ensino, patrimônio, infraestrutura, gestão financeira, gestão da informação, recursos humanos e tecnológicos. Os principais pontos abordados na reunião foram: a gestão do ensino, da pesquisa e da extensão, incluindo a questão da carga horária docente; as necessidades de maior atendimento às demandas da auditoria interna; e de aprimoramento do sistema de patrimônio e imóveis; e no que tange à gestão de pessoas, foram prestados esclarecimentos acerca da acumulação indevida de cargos e do sistema de controle de frequência. 

O reitor classificou a reunião como positiva. “Ela apontou caminhos a serem corrigidos e identificou acertos das ações realizadas”, pontuou Renato. Já de acordo com o diretor geral do campus Porto Seguro, Ricardo Cunha, a reunião permitiu maior conscientização do papel da CGU. “Esse encontro foi bom porque nos permitiu ter o olhar técnico de fora sobre nossa instituição. Ao todo, tivemos poucas recomendações, mas acredito que o momento foi produtivo”, concluiu. 

Ainda segundo Ricardo, o IFBA terá até o dia 3 de setembro para enviar alterações à Controladoria, que, posteriormente, encaminhará o relatório final com as modificações, ao Tribunal de Contas da União (TCU). O acompanhamento das ações sugeridas será feito pela CGU.