Você está aqui: Página Inicial > Instituto Federal > Notícias - 2015 > Professor do IFBA se dedica à pesquisa em saúde e concorre a dois prêmios na área

Professor do IFBA se dedica à pesquisa em saúde e concorre a dois prêmios na área

publicado: 04/12/2015 10h09 última modificação: 21/01/2016 18h36

O professor do curso de mecânica e coordenador da área de manutenção do IFBA, no campus Salvador, Bernardo da Cruz Neto, está concorrendo a dois prêmios com o artigo “Benefícios da Água com PH alcalino: Saúde ou doença, você decide”. 

O primeiro, InBEv- Baillet Latour Health Prize 2016, é um prêmio internacional na área de saúde que acontece na Bélgica, e que nesta edição abordará o tema “Doenças Infecciosas”. O vencedor que será conhecido em fevereiro de 2016, ganhará a quantia de 250 mil euros, equivalente a pouco mais de 1 milhão de reais .

O segundo prêmio, Péter Murányi 2016, é um concurso promovido pela Fundação Péter Murányi, em São Paulo, que este ano abordará o tema “Alimentação”. Neste concurso, o vencedor será premiado, em abril de 2016, com a quantia de 200 mil reais.

O professor Bernardo se diz satisfeito com o fato de o seu trabalho estar entre os que concorrem aos prêmios. “Só pelo fato de participar já me sinto glorificado, afinal estou competindo com grandes pesquisadores da área de saúde”, ressaltou.

Bernardo conta que começou a estudar o tema há cerca de dois anos e meio, quando procurou por um antiácido natural a fim de melhorar alguns problemas de saúde que desenvolveu por conta da hiperacidez estomacal. Foi aí que ele encontrou estudos de dois americanos que abordavam a questão da hiperacidez associada ao aparecimento de diversas doenças.  Os pesquisadores que serviram de base para a pesquisa de Bernardo já indicavam que a ingestão de água alcalina, em vez da comumente ingerida (ácida), traria benefícios à saúde das pessoas.

Segundo o professor, existem no mercado águas minerais que atendem a esse padrão alcalino. Entretanto, é possível produzir água alcalina através de uma receita caseira, na qual se adiciona o bicarbonato de sódio à água, em uma determinada quantidade. Foi essa “fórmula” que Bernardo passou a utilizar no lugar dos medicamentos.

Para divulgar os resultados obtidos com a ingestão, após tomar conhecimento dos prêmios, através de uma das publicações do Ministério da Educação (MEC), inscreveu-se nos dois concursos. “Sempre digo que foi um exemplo do que nós pesquisadores científicos chamamos de ‘o acaso feliz’, porque encontrei soluções para o meu problema e, ao mesmo tempo, pude desenvolver um trabalho que chegará a outras pessoas. Então, vi nesta participação nos concursos uma oportunidade de universalizar a discussão do tema”, comentou.

O artigo, que está na lista para publicação na revista do IFBA, Educação, Tecnologia e Cultura (ETC), chegou a ser indicado como base de um projeto de lei em 2014 pela Assembleia Legislativa da Bahia, entretanto, segundo Bernardo, após levantamento de custos, a proposta ficou estagnada. “Infelizmente são questões que envolvem a política, mas esta proposta deve ser encarada como uma questão de saúde pública. Através dela, entre outros benefícios, diminuiríamos as despesas com medicamentos nas farmácias e, consequentemente, os custos com a saúde pública”, enfatizou.

Outras produções

O professor começou a se interessar pela área de saúde quando cursava o doutorado em Ciências da Educação, na Universidade Autônoma de Assunção (UAA), no Paraguai. Motivado, primeiramente, por observações referentes à utilização inadequada de equipamentos por profissionais de saúde, e, posteriormente, por problemas dele, de amigos e familiares.

Desde então, já pesquisou e escreveu artigos em diversas áreas, entre elas, saúde pública, saúde coletiva e meio ambiente. Sua última produção, que ainda não foi publicada, aborda o tema obesidade abdominal como um risco à saúde. Com a pesquisa, Bernardo desenvolveu um teste simples onde é possível medir o risco à saúde proporcionado pelo excesso de gordura abdominal. Toda a pesquisa é associada à melhor utilização dos alimentos naturais, que de acordo com o professor, é a “fórmula do sucesso” para a perda de peso.
Atualização em 07 de dezembro às 13h58

registrado em: