Você está aqui: Página Inicial > Instituto Federal > Notícias - 2015 > IFBA inicia pedido de terreno para construção de centro de pesquisa

Geral

IFBA inicia pedido de terreno para construção de centro de pesquisa

publicado: 05/03/2015 13h44 última modificação: 09/12/2015 14h22

O reitor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA), Renato da Anunciação, solicitou à Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado da Bahia (Secti), por meio de ofício, a doação ou cessão de um terreno no Parque Tecnológico da Bahia, onde será construído o Centro de Pesquisa do IFBA.

Em reunião realizada na última semana, Renato tratou dos trâmites para a doação ou cessão do terreno com o secretário da Secti, Manoel Mendonça. De acordo com o reitor, esta não é a primeira solicitação de doação do terreno que o IFBA faz. Houve uma negociação em 2014 com o secretário anterior, mas o processo ficou pendente. Agora Renato acredita que o processo de cessão seja a opção mais viável.

Após o envio da solicitação, o IFBA aguarda que a Secretaria, que é responsável pela coordenação do Parque, a encaminhe ao Governo do Estado para cessão do terreno por 40 anos. Enquanto espera a decisão, o Instituto, através da Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação (Prpgi) reunirá pesquisadores, grupos e núcleos de pesquisa que desenvolvem projetos no IFBA, para analisar quais projetos se encaixam no perfil do Centro.

Posteriormente à consulta pública de projetos e trabalhos, o reitor e a Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional e Infraestrutura (Prodin) definirão em um pré-projeto quais laboratórios serão construídos no prédio e qual estrutura será oferecida. A previsão é de que , até o final de março, seja iniciada a confecção do termo de cessão por parte do Estado e que o processo licitatório para construção do prédio comece no segundo semestre deste ano.

Para o reitor, o centro será uma forma de o Instituto se aproximar do mundo produtivo de empresas, fundações e instituições que desenvolvem projetos de pesquisa no Parque. “Com essa proximidade teremos a perspectiva de trabalharmos juntos, promovendo e desenvolvendo as pesquisas nas áreas que são atendidas pelo Parque, como as de tecnologia da informação e saúde. Dessa forma, estaremos gerando tecnologia dentro do Estado”, ressaltou.