Você está aqui: Página Inicial > Instituto Federal > Notícias - 2015 > I Fórum do Licuri é realizado em Salvador

I Fórum do Licuri é realizado em Salvador

publicado: 05/11/2015 11h20 última modificação: 20/01/2016 19h03

Acontece na próxima segunda feira (9), no Hotel Sol Bahia em Patamares, o I Fórum do Licuri, que tem como objetivo promover o debate do papel estratégico da cultura do fruto, com foco no desenvolvimento sustentável do semiárido baiano.

O evento é uma iniciativa do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA) em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), ambas do Governo da Bahia, com apoio daFinanciadora de Estudos e Projetos (Finep).

O Fórum é dirigido aos agricultores em geral, agricultores colhedores de licuri, segmentos dos governos federal e estadual, organizações não governamentais, fundações, universidades e institutos de pesquisa e extensão que poderão contribuir para a elaboração e execução de políticas para o fortalecimento da cadeia produtiva do fruto.

O encontro pretende construir uma Rede de Cooperação da cadeia produtiva do licuri, debater a formulação de políticas públicas que considerem as especificidades, as necessidades e o pleno aproveitamento das potencialidades de desenvolvimento dos territórios rurais, além de apresentar boas práticas de desenvolvimento rural sustentável na região do semiárido baiano, com foco na agricultura extrativista do licuri.

O Licuri 

O licuri - também conhecido como ouricuri, aricuri, nicuri e alicuri - é uma palmeira encontrada no semiárido baiano, que representa um dos principais recursos das comunidades locais, principalmente nos longos períodos de estiagem.   O seu valor nutricional começou a ser estudado pelo IFBA em 2003; descobriu-se que a polpa do fruto é rica em cálcio, magnésio, cobre e zinco, e que a amêndoa (dentro do coquilho) possui cálcio, magnésio, cobre, zinco, ferro, manganês e selênio. Trata-se de um alimento funcional, que reúne substâncias essenciais à sobrevivência humana, contribuindo para o combate a fome e a prevenção de doenças. Além disso, 50% da constituição da amêndoa compõe-se de óleo, um componente importante para a alimentação, para a área cosmética, e que pode ser utilizado para produção de biodiesel e biolubrificantes.  A cultura do Licuri, contribui para o desenvolvimento socioeconômico do semiárido baiano, através  da geração de trabalho, renda, conhecimento, bem estar e cidadania às comunidades locais. 

Mais informações podem ser obtidas no site da Secti, através dos telefones 3118-5828 / 3115-2705, ou pelo e-mail forumdolicuri@secti.ba.gov.br.