Você está aqui: Página Inicial > Instituto Federal > Notícias - 2015 > Após audiência pública, IFBA planeja próximas ações para implantação de câmpus

Geral

Após audiência pública, IFBA planeja próximas ações para implantação de câmpus

publicado: 12/03/2015 16h24 última modificação: 09/12/2015 16h07

A audiência pública realizada na tarde de ontem (11), no auditório do Centro Territorial de Educação Profissional do Recôncavo (Cetep Recôncavo), em Santo Antônio de Jesus, foi considerada um sucesso pelos representantes do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA) que estiveram no evento.

A proposta de oferta do curso superior noturno de tecnologia da informação, com enfoque na área de redes e desenvolvimento de sistemas foi apresentada e aceita pelos presentes. A escolha foi baseada em um mapeamento da região feito pelos dirigentes locais. “Foi exatamente o que nós esperávamos. Acredito que a apresentação que fizemos justificando o motivo da proposta fez com que as pessoas a entendessem e, de fato, eu senti que houve uma aceitação. Então, para mim, o resultado foi positivo. Agora vou começar a trabalhar na elaboração dos projetos do curso”, afirmou a diretora geral do câmpus Santo Antônio de Jesus, Edna Matos.

De acordo com o reitor do IFBA, Renato da Anunciação, o prédio onde funcionará o câmpus deve ser entregue até junho. Renato destacou a expectativa da comunidade em relação à implantação do câmpus e à oferta do curso. “Toda essa mobilização da cidade nos aponta o interesse e a necessidade deles com relação à implantação do Instituto. Acontecerão outros momentos de diálogo com a comunidade e, com isso, acredito que nossas intenções serão fortalecidas. Agora vamos começar a discutir as questões de currículos e a necessidade de quadro docente e de técnicos”, pontuou.

Devido à integração entre a comunidade e os dirigentes do Instituto, a pró-reitora de ensino, Lívia Simões, acredita que a tendência é de que cursos voltados para a comunidade sejam oferecidos cada vez mais no câmpus. “Penso que podemos planejar cursos mais focados na atuação conjunta em relação à extensão, com a integração da parte acadêmica e a comunidade, empresas e toda a conjuntura local. Assim poderemos fazer um projeto de cursos muito mais dinâmicos do que a princípio estavam sendo pensados”, enfatizou. 

Atualizada em 13 de março de 2015, às 09h36.