Você está aqui: Página Inicial > Campus Feira de Santana > Notícias > Simpósio de Gênero discute a masculinidade e atua na luta contra o preconceito

Simpósio de Gênero discute a masculinidade e atua na luta contra o preconceito

publicado: 25/08/2017 17h25, última modificação: 25/08/2017 17h25

Aconteceu no IFBA Feira de Santana, entre os dias 22 e 23 de Agosto, o IV Simpósio de Gênero, Sexualidade e Homofobia e mais uma vez o evento foi um sucesso. Alunos, professores e comunidade se reuniram para discutir o tema “Masculinidades: ninguém nasce... torna-se”. Palestrantes de universidades baianas, alunos, ex-alunos e professores do Instituto contribuíram para o enriquecimento do evento e disseminação do conhecimento.

O evento começou na manhã de terça-feira, com o credenciamento dos ouvintes e a abertura com a Diretora do Departamento de Desenvolvimento de Ensino (DDE), professora Marcela Soares, e também com a professora Aletuza Gomes, presidente da comissão organizadora do Simpósio. Em sua fala, a professora Aletuza ratificou a importância da temática para a desconstrução de preconceitos e de violência social, trazendo um pouco da história do evento e pontuando a importância de se discutir o padrão de masculinidade numa sociedade cada vez mais violenta. Após a abertura, houve uma apresentação artística com três ex-alunos do campus Feira de Santana relacionada com o tema do Simpósio.

 

O pesquisador da área de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia, Anderson Reis de Souza, foi o palestrante do primeiro dia do Simpósio, o qual discutiu o tema Masculinidades, apresentando dados e conceitos relacionados à discussão e debatendo, dentre outras coisas, as consequências disso para a vida do homem. Após a palestra, houve um momento artístico no pátio do Instituto, comandado pelo coletivo MUNAHIS - Mulheres na História.

 

Seis minicursos foram realizados no final da manhã do primeiro dia do Simpósio. Professores, alunos do câmpus e membros de coletivos voltados para a luta contra as desigualdades sociais ministraram esses minicursos, nos quais houve participação significativa dos ouvintes.

O coletivo MUNAHIS deu início às apresentações do turno vespertino com muita música, dança e poesia. Logo após, a palavra foi dada a Jorge Nery, docente da Universidade Estadual de Feira de Santana, que exibiu o documentário “The Mask You Live In”, sobre a temática do Simpósio, e abriu discussões sobre o tema.

 

A tarde do primeiro dia do Simpósio foi encerrada com duas apresentações artísticas: Heron dos Anjos e o Espetáculo Trans (sob o comando de Dhanny Sanntos) animaram a platéia com suas apresentações. Heron apresentou dois números de dança do ventre que encantou a todos os que assistiram; Dhanny dos Sanntos trouxe junto com o seu Espetáculo Trans a apresentação “Sejam Todos Bem-Viados”, que juntou dança, arte e combate ao preconceito de uma só vez. Após a apresentação foi aberta uma sessão de perguntas dos ouvintes para os artistas.

  

O evento a noite foi aberto também pela professora Aletuza Borges, além das apresentações dos ex-alunos do campus Feira, do coletivo MUNAHIS e também do professor Jorge Nery. 

Fábio Freitas iniciou as atividades do segundo e último dia do Simpósio. Em seguida, uma mesa formada por Kléber Simões (UNEB), Fábio Fernandes (UFOB) e Ricardo Argolo (Famílias pela Diversidade) discutiu sobre masculinidades, família e o projeto Escola Sem Partido. O debate envolveu todo o público presente e algumas vivências foram compartilhadas. Após o debate, foi dada uma pausa para o lanche e também para o momento artístico do coletivo MUNAHIS.

 

Bruno Santana, Arthur Oliveira e De Lima Flor apresentaram as suas vivências na segunda parte da manhã. Intitulado “As dores e delícias de ser quem somos”, a vivência desse homem e mulher trans emocionou os ouvintes e oportunizou uma discussão importante sobre o tema.

 

O IV Simpósio de Gênero, Sexualidade e Homofobia se encerrou com a fala da professora Aletuza e também com uma apresentação artística envolvendo todo o público do evento.